Techno Clipse

Caros aprendizes,

Hoje nós vamos tratar de um assunto relativamente complicado e complexo porém extremamente estimulante. Vamos aprender a controlar a forma e o volume de um espectro pré renderizado de acordo com o conceito que precisamos que ele represente através de ranhuras retas, congruentes, elípticas e ou mesmo incongruentes, vamos lá?

Comecemos criando uma nova imagem  com fundo preto e de tamanho uniforme, preferencialmente entre 800×800 e 1000x1000pixel s, isto porque assim o seu hardware não sofrerá grandes cargas deixando o mesmo livre para outras tarefas que eventualmente você esteja executando.

Criada a nova imagem, vamos imediatamente abrir o filtro renderizador denominado “Chama”. A imagem abaixo ilustra o caminho até o filtro:

Aberto o filtro, selecione dentro do recurso “Mapa de cores” uma das opções padrão que seja compatível com a estrutura de cores e tons que você deseja que a sua imagem venha a ter, note que o resultado da ação primária deste filtro será progenitora do esquema final de cores que carregará a essência do padrão aqui escolhido. Caso nenhuma das opções vindas por padrão o satisfaça, lembre-se que você pode optar por utilizar algum degradê de sua preferência ou mesmo criar um que supra as suas necessidades para o momento e além.

Escolhido o Mapa de cores, vamos agora tratar do espectro a ser criado pelo filtro, para isto na aba denominada “Câmera” configure o Zoom para valor acima de 2,00, isso fará com que o espectro se torne mais detalhado além de preencher uma area maior da imagem.

Finalmente, clique no botão denominado Editar, esta ação nos levará diretamente para a interface de escolha do espectro a ser gerado, não esqueça de configurar o recurso “Variação” para o modo Randômico, isto fará com que a variedade de escolha do conceito espectral seja maior. Para o assunto do dia, dê preferência por uma grama de espectros limpos e curvados como os mostrados na folha de espectros abaixo. É também conveniente lembrar que para gerar uma nova folha de espectros basta clicar sobre o botão denominado “Randomizar”, escolhido o espectro desejado, basta clicar sobre o mesmo e depois no botão “OK”, presente na interface de escolha dos espectros.

Feito isso, já podemos ver o espectro escolhido dentro da janela de pré-visualização do filtro presente na interface principal do mesmo:

Agora basta clicar em “OK”  e aguardar o processamento que dependendo do seu hardware e do tamanho da imagem pode demorar um pouco.

Este é o resultado do nosso assunto do dia após a renderização do espectro gerado pelo filtro “Chama”:

Agora vamos transformar o nosso espectro em um verdadeiro eclipse, para esta tarefa nós iremos utilizar o filtro denominado “Borrão de Movimento”. A imagem abaixo ilustra o caminho até o filtro:

Aberto o filtro vamos revisar a sua interface de trabalho para podermos executar a nossa tarefa com qualidade:

Tipo de Borrão:

Determina qual será o tipo de atuação do mesmo dentro da imagem:

Linear : Promove um borrão do tipo linear, como um traço contínuo

Radial: Promove um borrão circular onde o borrão se atém a extremidade do raio.

Zoom: Promove um borrão gradativo do centro para fora das extremidades do mesmo.

Centro do borrão:

Determina onde será o ponto de início do mesmo dentro da imagem, uma boa maneira de se obter um início da reação no centro da imagem é aplicar o mesmo no seu centro sinérgico, por exemplo: em uma imagem com 800×800 pixel s o seu centro sinérgico equivale a divisão da imagem por dois, ou seja : 400 x 400 pixel s.=]

Borrar para fora:

Uma vez aplicado o efeito borrão se dará para fora dos limites da imagem.

Parâmetros para Borrar :

Aqui podemos definir o tamanho do borrão *(comprimento) e o seu angulo de aplicação quando assim aplicável.

De posse disto, selecione o tipo de borrão denominado “Radial”, o centro da intervenção do filtro só deve ser alterado se você realmente souber o que estiver fazendo, no caso do assunto do dia, é recomendável mas não essencial que o mesmo seja verticalmente deslocado em cerca de 100 pixel s para baixo, por exemplo se o seu trabalho tiver 800×800 pixel s de tamanho, basta alterar o campo Y para 300 pixel s, por fim, o Ângulo de ataque da intervenção do filtro deve ser superior a 160 graus, isto fará com que o centro fique liso e as bordas ligeiramente ásperas.

Satisfeito clique em “OK” e aguarde, aconselho ir tomar um café pois este procedimento costuma demorar de 1 a 4 minutos dependendo do seu equipamento e tarefas sendo executadas.

Terminado o processamento vamos literalmente tirar o nosso eclipse da escuridão atual:

Para isto, duplique a camada base e sobre esta nova camada aplique o efeito de camada aditivo denominado “Adição”:

Agora duplique esta segunda camada algumas vezes afim de potencializar o efeito que acabamos de criar =]:

e pronto!

ECLIPSE TOTAL

Voltemos para a seguinte situação :

Note que as camadas estão alinhadas para que o efeito de camada aditivo possa fazer o seu trabalho a contento:

Agora troque o efeito de camada desta para “Mesclar Grãos” e utilizando a ferramenta de espelhamento presente na interface principal do Gimp, faça espelhamento horizontal nesta camada =]:

CD Sun

Agora vamos esquentar um pouco mais as coisas da seguinte maneira:

Voltemos para o nosso primeiro final “feliz”:

Combine todas as camadas visíveis do mesmo *(caso você ainda não tenha feito isso claro=]) e crie uma nova camada transparente sobre a imagem. Depois abra o filtro renderizador “Explorador de Fractais“, a imagem abaixo ilustra o caminho até o filtro:

Uma vez aberto o filtro vamos criar um pequeno fractal liso abarrotado de ranhuras para causar choque conceitual no final deste exercício.

Para executar a tarefa proposta acima, primeiro selecione um fractal Liso *(sem deltóides) bons exemplos são “Marble” e “Marble 2”, depois escolha um esquema de cores com quebras de tons diversos, para poupar tempo, selecione diretamente o recurso “Aplicar degradê ativo a imagem final”, e escolha um dos degradês disponíveis que seja compatível com as características que estamos procurando ou caso nenhum o satisfaça basta criar um.

Feito isso, configure os parâmetros a seu gosto tendo como única diretriz inquebrável a preservação de ranhuras, como no exemplo abaixo:

Satisfeito, clique em “OK” e aguarde o processamento. Terminado o mesmo, aplique sobre a camada portadora do fractal o efeito de camada denominado “Super-Exposição”:

Para recompormos a estrutura Luminosa do nosso trabalho basta combinar todas as camadas visíveis e duplica-la, sobre a nova camada resultante deste processo aplique o efeito de camada denominado “Adição”. Caso você deseje mais luz, basta agora duplicar esta camada que recebeu o efeito aditivo =]:

Pronto, terminamos! =]:

Vejo vocês no nosso próximo assunto!

3 Respostas to “Techno Clipse”

  1. Esse é o Ragriz!!! Criativo com o sempre!!!

  2. Thiago Mullen Says:

    Professor,como vc fes para seu Gimp ficar preto??

    • Olá Thiago foi bem simples no caso estou rodando o tema padrão do ubuntu studio o que já torna as janelas dos aplicativos pretas por padrão, mas para trocar o tema do gimp é facilimo basta baixar um e descompacta-lo na pasta “themes” dentro dele, dai basta ir em preferencias e ativa-lo =]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: