Perdidos no Espaço

Caros,

hoje acordei com essa música da Legião Urbana na cabeça e ela me lembra espirais como se fossem portas para outros horizontes escaláveis não totalmente doutrináveis como espirais volumétricas que é o nosso assunto do dia .

Comecemos o exercício do dia abrindo o Inkscape e dentro do mesmo criando um pequeno objeto irrestrito de diretrizes salvo pela borda preta:

No caso optei por um objeto pouco complexo com conceito relativamente estático como um vaso de planta futurista, mas isso fica totalmente a seu critério. Na imagem abaixo ainda é possível observar a finalização da criação através das pequenas correções de curso das linhas através da alteração de tracejo de alguns nós vetoriais:

E aqui temos o objeto progenitor do nosso assunto do dia finalizado:

Agora é que começa a diversão, para criar a espiral volumétrica a partir deste objeto vamos clona-lo diversas vezes a fim de formar tal padronagem. Para isto clique em “Editar” e navegue até o submenu “Clonar”, neste clique em “Criar Clones Ladrilhados”:

Uma vez aberta a ferramenta de clonagem, ganhamos acesso a sua interface multi-facetada repleta de parâmetros passíveis de ajustes diversos para tanto vamos a eles:

Simetria:

Simetria é o grau de eqüidistância que as extremidades do espectro espiralado terão ao seu término. Mas para este primeiro momento deixe o ajuste padrão sem alterações.

Deslocamento:

Deslocamento é o quanto cada objeto criado se distanciará do seu clone anterior . Para a criação do espectro espiralado volumétrico a “mágica” é um tanto “braçal”, basta configurar a valoração do deslocamento “X”por coluna entre -70 e -90% porém dependendo do que se deseje nada impede que você opte por adotar tal configuração para o parâmetro Y em detrimento do parâmetro visto anteriormente.

Ampliar:

A aba denominada “Ampliar” fala do tamanho que cada celula espectral deverá assumir, para este primeiro momento deixe como está.

Rotação:

A aba denominada “Rotação” define o angulo de ataque que o espectro espiralado irá adotar, para um bom resultado primário configure a caixa de valoração “Por coluna” com um valor entre 2 e 3,5 graus por agora.

Desfoque & opacidade:

Esta aba determina tais reais parâmetros já bem conhecidos por nós, como geralmente não é do nosso desejo desfocar o espectro ou por enquanto alterar sua estrutura coloral basta deixar a mesma inalterada.

Cor:

Esta aba altera a estrutura luminosa e coloral do trabalho pelo modo de cor HSL *(já tão calejado de visto por nós no filtro “Mapeamento Alien” presente no Gimp.) . Para este primeiro momento deixe como está.

Traçar:

Esta ultima aba define como será o traço do espectro clonador, mas desta vez em nada ela irá influenciar na criação do mesmo então deixe como está. Note que abaixo de todas as abas podemos ver uma caixa de dialogo contendo quatro caixas de valoração, duas ativadas e duas desativadas , são elas quem irão determinar o comprimento do espectro e o numero de colunas bem como se o mesmo terá tamanho uniforme ou não, por enquanto configure o mesmo de maneira que ele fique com um ajuste entre uma e duas colunas e entre 100 e 300 linhas, feito isso basta clicar em “Criar” =]

Depois de autorizar a ferramenta trabalhar veja como ficou o resultado primário do exemplo:

Agora que já “estalamos os ossos”, vamos adicionar um pouco de controle ao nosso espectro, veja o que acontece quando o mesmo é gerado subtraindo -3% do parâmetro Y da caixa de valoração da coluna

Agora reparem que a figura progenitora dos clones que formam o espectro *(isso mesmo a primeira figura que criamos) está selecionada. Isso ocorre porque ela “controla” as imagens que formam o espectro , vejamos o que acontece com o espectro se ampliamos o tamanho dessa imagem apenas arrastando com o mouse:

Agora vejamos o que acontece se essa mesma imagem for achatada e alargada um pouquinho :

Para apimentar ainda pode-se aplicar um degradê sobre o espectro apenas selecionando o seu todo =]:

escolhido o degradê basta aguardar e apreciar =]

Agora vamos partir para a ignorancia, exporte o espectro gerado e abra-o no Gimp:

Experimente colocar uma camada preta por baixo, duplicar a que porta o espectro e sobre esta ultima aplicar simetria aliada a um efeito de camada subtrativo :

E é assim que fica o exemplo do dia =]

Vejo vocês no nosso próximo assunto!

9 Respostas to “Perdidos no Espaço”

  1. Eu viajo nas suas idéias🙂. Muito legal.

  2. Você que fez esse tutorial? Caraca. Parabéns cara. Muito bom mesmo !!

    Abraço!

  3. Pô cara vc é fodão nestas coisas hem… Muito show….

  4. Algo quero queria fazer era uma frase disposta num circulo ao redor de onjeto, tipo circulando este objeto, como os anéis de saturno, saberia me dizer como faze-lo com inkscape??? e também queria distribuir em circulos estrelas com distancia iguais, como os pontos do tracejado, no lugar deste pontos seriam as estrelas ou qualquer outro simbolo.. e possivel fazer isso com o Inkscape??

  5. vei, tuas onda é massa… essa é da boa!!!
    rs.. abraços!

  6. Olá Sandro, sim é possível, vou explicar por email para não lotar a pagina. abraços

  7. adoro vir conferir esses tutoriais – mto bom!

  8. Muito bom o seu trabalho, é preciso mostrar pra pessoas que existem alternativas!

  9. Oi Razgriz, tudo bem?
    Eu ainda não entendi muito bem como parametrizar os valores de clonagem no Inkscape. Mas a cada exercício praticado percebo o quanto esta ferramenta é poderosa! Adorei o tutorial e principalmente a arte abstrata😉
    []s Gelly

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: