A cor do Tim

Caros,

O assunto do dia tem um certo tom de homenagem pois compondo o exemplo está uma imagem do “Sindico” da música do nosso pais, mas deixemos pra falar dele depois, hoje nós vamos aprender a transformar bitmaps em psicodelia absoluta.

Comecemos abrindo o Inkscape e importando para o mesmo a imagem que servirá de base para o exercício do dia, preferêncialmente não escolha uma imagem grande ok? =]:

tim1

Agora vamos transformar a imagem que escolhemos em vetor, para isto vamos utilizar o nosso já conhecido recurso denominado “Traçar Bitmap” cujo caminho pode ser visto abaixo:

tim2

Aqui nós vamos fazer algo bem específico, solicitaremos a ferramenta que confeccione um vetor relativamente detalhista determinando o parâmetro denominado “Níveis de Brilho” com valoração superior a 90, isto nos dará um resultado relativamente fiel da imagem original mas ainda em preto e branco *(oque é exatamente oque nós queremos para este momento) , para ter resultado semelhante em “cores” basta utilizar o parâmetro denominado “Cores” para a tarefa:

tim3

Aqui podemos comparar o vetor resultante da imagem com a próŕia original:

tim4

Agora vamos modificar o padrão de pintura do nosso vetor, tal tarefa é relativamente simples mas exige atenção, vamos a ela:

Primeiro selecione o recurso de edição de nós vetoriais e clique sobre o vetor, note que pode levar algum tempo até que os pontos vetoriais apareçam.

Agora reparem no seguinte fato, ao clicar no vetor nem todos os pontos vetoriais que compõem o mesmo estão sendo mostrados, isto ocorre porque esta estrutura vetorial complexa é formada por setores que tem seus traços preenchidos com diversas tonalidades de cor diferentes a fim de formar a representação*(imagem que nós vemos, pois para quem está “de fora” esse ai continua sendo o “Tim Maia” e não uma “estrutura vetorial”) que é entregue aos nossos olhos, então, cabe a nós executar a modificação setor por setor:

tim5

Dito isso, abra agora a ferramenta de preenchimento de cor do Inkscape, feito isso, vamos aprender a selecionar os setores da estrutura pelos nós e ou tons de cor:

Primeiro escolha uma área da estrutura e depois clique e arraste a seleção de pontos até abranger a area que será modificada primeiro, depois troque o seu preenchimento por um de tom mais claro. É mais do que valido lembrar que quanto mais complexa for a estrutura vetorial criada, mais nós e setores a mesma terá:

tim6

Note que você pode atribuir qualquer tonalidade de cor a um determinado setor, apesar disso prefira trabalhar com apenas uma tonalidade padrão para todos os que você decidir modificar deixando assim o trabalho mais uniforme:

tim7

tim8

Outra maneira  de se modificar as cores de um determinado setor é clicando diretamente sobre o mesmo, isto elimina a necessidade de se selecionar os nós ou mesmo de clicar em um:

tim9

Quando se clica em apenas um nó, todos os demais ligados diretamente a ele também sofrem a alteração solicitada:

tim10

Quando estiver satisfeito , diminua o Zoom e veja a transformação de perto:

tim11

Agora é hora de exportar a imagem pois vamos dar uma “polida” conceitual no Gimp, escolha um tamanho compatível com as suas pretenções:

tim12

Eis a imagem aberta no Gimp:

tim13

Agora vamos preencher as areas que não tem cor*(invisíveis), crie uma nova camada transparente e pinte-a de preto, em seguinta abaixe a sua seleção para que fique imediatamente a trás da imagem *(no lugar da camada qualificada como “fundo”), feito isso , sobre todas as camadas crie outra transparente:

tim14

Agora sobre esta camada, coloque um pincél ou imagem que seja compatível com o conceito do trabalho :

tim15

Agora vamos tornar isto parte integrante do trabalho, aplique sobre esta camada o efeito subtrativo denominado “Sobrepor”:

tim16

Para realce duplique esta mesma camada:

tim17

Dito isso agora temos dois caminhos para seguir, o primeiro é trabalhar apenas dentro da área com estrutura luminosa visível, criando uma composição básica utilizando o mesmo processo aqui visto acima:

tim18

Não se esqueça de aplicar o efeito sobrepor as camadas que envolvem a composição:

tim19

O outro caminho é priorizar a área útil da imagem criando uma composição com tons semelhantes aos obtidos na confecção da imagem em seu início:

tim20

Hora das cores =] adivinhem quem terá a honra de executar esta tarefa?

tim21

Indepentente do modo de trabalho escolhido procure trabalhar com cores que remetam ao conceito proposto por você, no caso do modo HSL evite utilizar frequencia de saturação elevada ou mesmo valorações altas para oa parâmetros de luminosidade, pois isto pode resultar em brilho esxcessivo :

tim22

tim23

E aqui temos o resultado final do nosso exemplo do dia=]

timfinal

Dito isso meus caros aprendizes, vejo vocês no nosso próximo assunto=]!

P.s: “Valeu Tim, valeu de mais!”

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: