A caixa de Pixel s

Caros,

Devo dizer que o assunto de hoje tem duas faces, a primeira é simplista e mostra como criar um objeto relativamente singelo, falamos aqui de uma simples caixa ou “box” quadrada ou mesmo retangular. Já a segunda face trata da analise do processo de transformação deste singelo objeto em um complexo painel com pixel s destacados. Prontos?

Comecemos abrindo o Inkscape e dentro do mesmo criando um simples quadrado ou retângulo utilizando a ferramenta apropriada:

cayu1

Agora por uma aparência ligeiramente arredondada e sem pontas duras puxe uma das pontas de formação do objeto utilizando a ferramenta de edição de nós vetoriais, vale lembrar que tal procedimento é de livre arbítrio não influindo assim diretamente na técnica aqui observada:

cayu2

Agora vamos transformar o nosso objeto em caminho, isto se faz necessário para que o objeto possa ser moldado sem restrições :

cayu3

Agora, deixe o interno do nosso objeto sem cor e preencha a pintura do traço com uma cor de sua escolha, isto fará com que se possa visualizar melhor o que faremos a seguir que é utilizar sobre o objeto o filtro denominado “Extrudir”  cuja função é criar os traços da nossa “caixa”:

cayu4

O “pulo do gato” é manter um angulo de ataque “reto”, 90 graus é o ideal para o nosso caso, mas dependendo da perspectiva que se deseje atingir eventuais ajustes podem ser necessários:

cayu5

Satisfeito clique em aplicar e aguarde o processamento:

cayu6

Agora que o filtro fez o seu trabalho e temos os traços formando a nossa caixa, vamos agora devolver a cor ao nosso objeto de uma maneira não muito convencional, sim bastaria preenche-lo com uma cor sólida diferente da cor do traço e seria o “Fim da história”, mas como queremos ir mais a frente… =] preencha o de preto e em seguida plique degradê linear:

cayu7

Eis o que temos, uma base para a criação de novos objetos através de construções clônicas horozintais, ou seja duplicando e espelhando o objeto podemos ter uma nova imagem formada pelos encaixes de cor=]

cayu8

Utilizando a ferramenta de posicionamento de degradês nós podemos tambem alterar drásticamente a pesrpectiva e formas de uso do objeto =]

cayu9

Vamos dar um exemplo de construção clônica já que pouco falei a respeito:

Utilizando o atalho “Ctrl + D” duplique o objeto e em seguida faça uso de alguma das ferramentas de espelhamento a fim de obter um novo objeto a partir da simbiose  resultante do processo:

cayu10

Alterando a estrutura luminosa dos dois objetos através do reposicionamento dos degradês é possível modificar a perspectiva e até mesmo o formato do objeto criado=]:

cayu11

Para obter um setor com cor contrastante no objeto formado, basta distanciar um pouco o encaixe dos dois objetows formadores do resultante final=]:

cayu12

Abaixo temos dois exemplos do que foi dito =], crie ao menos dois modelos, escolha um e exporte-o abrindo o mesmo em seguida no Gimp:

cayu13

Caros…aqui começa a segunda “face” que mencionei, não é na realidade complicado mas vai exigir muita atenção então concentrem-se.

Após exportar o objeto criado, eventualmente pode ser necessária a criação de uma camada branca de “fundo” para corrigir a transparência natural de objetos vetoriais feitos com cores não solidas*(degradês de qualquer instância) isto por que este tipo de trabalho realmente não tem um “fundo próprio” sendo necessária a criação de um. Depois escolha um pincel com conceito de “splash” aplique-o sobre uma nova camada transparente sob a chancelaria do efeito de camada denominado “Sobrepor”:

cayu14

Agora combine as camadas visíveis e em seguida vamos adicionar as “celulas” que irão formar o nosso painel, para esta tarefa iremos utilizar o velho conhecido nosso, o filtro denominado “Gimpressionista“:

cayu15

O procedimento aqui é bem simples, para quem ja é aluno a tempos vai notar que já executamos algo bem semelhante a algum tempo, comecemos selecionando um padrão “liso”, como o denominado “Line Art”

cayu16

Depois selecione um pincel de trabalho relativamente áspero, o denominado “Crayon07” é um bom exemplo:

cayu17

Depois no quesito “orientação”, marque a opção denominada “Fluindo” e mande o filtro trabalhar:

cayu18

Hora de realçar a dividão da imagem pelas celulas, isto já faz parte do nosso acabamento final, duplique a camada base duas vezes aplicando sobre as mesmas o efeito de camada denominado “Sub-exposição”

cayu19

Agora vamos adicionar uma curva para formar um desnível em nosso trabalho através de um fractal, para isso,  combine novamente as camadas visíveis do trabalho e sobre a resultante crie uma nova camada transparente onde aplicaremos o recurso denominado “explorador de fractais“:

cayu20

Permita que um degradê de instancia clara dê o tom das cores do espectro, os parâmetros são a seu gosto bem como o modelo base a ser utilizado:

cayu21

Depois deixe o filtro trabalhar. Quando ele terminar a tarefa, dessature a camada onde repousa o resultado da ação anterior:

cayu22

Agora vamos eliminar os detalhes menores do nosso fractal dando ao mesmo um aspecto de pintura a óleo fazendo uso do filtro de mesmo nome:

cayu23

Agora é simples, basta deixar a valoração de ambos os recursos em seus níveis mais elevados e autorizar o filtro a trabalhar:

cayu25

Eis oque temos:

cayu26

Agora aplique o efeito de camada denominado “Diferença” sobre a camada onde repousa o fractal =]:

cayu27

Agora combine as camadas visíveis e duplique a resultante, em seguida espelhe-a aplicando em seguida sobre a mesma o efeito de camada denominado “Adição”:

cayu28

Agora combine novamente as camadas visíveis e duplique a resultante, em seguida aplique o efeito de camada “Diferença” espelhando-a mesma imediatamente após a aplicação do efeito:

cayu29

Agora pode-se alterar a perspectiva do objeto =], Para isto combine novamente as camadas visíveis e espelhe a resultante na vertical

cayu30

Agora vamos ao primeiro passo do nosso trabalho de casa, duplica-se a camada do trabalho e reposicionando-a pode se obter uma nova incorporação a estrutura apagando-se os trechos desnecessários:

cayu31

Vamos deixar o serviço de aplicar as cores finais ao nosso já bem conhecido filtro “Mapeamento Alien

cayu32

Sinta-se Livre para determinar um tom único ou vários, respeitando apenas o conceito original da estrutura luminosa do trabalho, para tal, utilize valorações baixas para a frequencia e a fase da luminosidade, não mais que 0,80 para a primeira e 20 para a segunda:

cayu33

Eis o final do exemplo do dia =] e claro o trabalho de casa, note que existem dois tons da mesma cor no trabalho e uma ligeira alteração na estrutura de pixel s final, como isto foi feito? justifique executando trabalho utilizando o mesmo princípio.

finishhome

Dito isso, vejo vocês no nosso próximo assunto!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: