Byte Dust

Caros,

hoje nós vamos falar sobre como adaptar uma textura a um espectro de luz=], vamos lá?

Comecemos abrindo uma nova imagem de tamanho livre e fundo preto no Gimp:

bytedust1

Agora  vamos escolher a nossa textura, para ilustrar o exemplo do dia escolhi esta aqui:

bytedust6

Agora vamos voltar a nossa nova imagem e sobre a mesma gerar o espectro, antes de mais nada crie uma nova camada transparente para carregar o espectro de luz, depois vamos utilizar o nosso já conhecido filtro espectral denominado chamas cujo caminho pode ser visto abaixo para criar o nosso pretendido:

bytedust2

O “pulo do gato” meus caros é selecionar o “mapa de cores”, selecione como mapac de cores a imagem que você escolheu como textura:

bytedust3

O tipo de espectro é a seu gosto:

bytedust4

Eis aqui:

bytedus5

Agora lembra da imagem que escolhemos? Copie e cole-a sobre a imagem que geramos o espectro:

bytedust6

Agora o passo mais importante : Não transforme-a em nova camada, aplique direto o efeito de camada denominado “Super Exposição” e veja o que acontece: =]

bytedust7

Isso mesmo! O efeito de camada se mescla aos contornos do espectro graças a hierarquia das camadas!!

bytedust8

Agora basta ancorar a seleção flutuante e repetir o processo até que todo o espectro seja coberto, tomando o cuidado de se respeitar o encaixe das bordas da  textura=]:

bytedust9

Eis aqui!=]:

bytedust10

Mas Raz…é igual para todos os tipos e formatos de espectro??

Meus queridos a resposta é não, por isso mesmo que nós vamos agora aprender a “dançar conforme a música”:

Eis aqui um novo espectro gerado sob as mesmas condições do anterior:

bytedust11

Até aqui tudo igual certo ? Errado! Primeiro que a estrutura luminosa do novo espectro é mais tênue do que a do anterior.

Segundo: Repare que a textura agora esta colada como NOVA CAMADA e não seleção flutuante =], ou seja, ela agora é independente!

bytedust12

Como a estrutura luminosa do espectro é de baixa intensidade, basta fazer com que a textura se una ao espectro reduzindo também a  intensidade da sua estrutura luminosa, para isto aplique o efeito de camada denominado “Subtrair” e pronto!:

bytedust13

Agora basta preencher o espectro por inteiro:

bytedust14

E  eis aqui =]:

bytedust15

Se você achar que o seu ficou escuro, combine as camadas visíveis e duplique a camada resultante, sobre a nova camada, aplique o efeito de camada denominado “Adição” e pronto=]:

Para clarear ainda mais, basta agora duplicar esta mesma camada algumas vezes=]:

bytedust16

Para o pessoal do CCA-BR : Como eu cheguei a isso?

bytedust17

Dito isso meus caros aprendizes, vejo vocês no nosso próximo assunto!

About these ads

Uma resposta para “Byte Dust”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: