Archive for the tutorial Category

Como Ilustrar sem Apanhar

Posted in Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, razgriz, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , on novembro 28, 2010 by phenonart

Caros,

Sei muito bem que ando sumido mas nem tanto, é bem verdade que a migração da Comunidade Brasileira do Gimp e o Cria Livre demandam muito da minha atenção, mas não pensem que me esqueci de vocês, prova disso é o nosso assunto do dia, hoje nós vamos aprender a transformar uma imagem em uma ilustração espontânea e realista, semelhante aos croquis feitos por artistas urbanos no meio das cidades =].

Dito isso, comecemos abrindo  uma imagem presente em nosso acervo =] , lembrando que você é livre para optar pelo arquivo que você desejar , isso serve também para o campo da pré-edição, afinal….é claro que o carro não era assim -:

Escolhida a imagem, vamos a suite de plugins G’MIC que contém mais de 415 plug-ins para fazer a nossa alegria, efetue o download e coloque o arquivo dentro da pasta de plugins do Gimp:

Feito isso, vamos até a mesma, o caminho na grande maioria dos casos se assemelha ao visto abaixo:

Uma vez aberta a suite, vamos até o Plugin denominado B&W Sketch cuja função é cobrir os traços da imagem com linhas tracejadas, Seus muitos parâmetros permitem diversos estilos de traço e nível de coerência. Como as possibilidades de ajuste são praticamente infinitas, veremos um ajuste simplório que executa um traço mais consistente e próximo e assemelhado ao esboçado em cadernos, para tal, mantenha o parâmetro denominado “Coerência” com valoração entre 0,70 e 1,25 para que os traços sigam relativamente a orientação espacial da imagem, o campo denominado “Stroke length” determina o tamanho dos traços a serem criados, portanto utilize uma valoração entre 330 e 500 para obter um traço não tão forte mas relativamente preciso. Quanto ao parâmetro denominado “Opacidade” procure deixa-lo com valoração abaixo de 0,5 para que os traços não fiquem densos demais.

Quando ficar satisfeito, deixe o filtro executar o seu trabalho =] . Repare como temos um traço extremamente detalhado da imagem que chega a ser um pouco poluído em certos casos, mas é exatamente o que queremos por agora.

Hora de fundir o traço a imagem =]

Aplique sobre a camada portadora do mesmo o efeito de camada denominado “Sobrepor” e reduza sua opacidade para cerca de 30% , isto fará com que o traço fique com uma aparẽncia mais natural perante o trabalho.

Para complementar a sensação do traço vamos acrescentar um pouco de luz, para tal duplique a camada portadora do mesmo e aplique o efeito de camada denominado “Extrair Grãos”, esta ação irá literalmente lançar as ranhuras dos traços para fora =]

Agora vamos complementar o nosso trabalho criando uma pequena composição com pincéis de conceito compatível por cima, no caso escolhi alguns grafites para combinar com o ambiente =]. Para que ela se funda ao trabalho basta aplicar o efeito de camada “Sobrepor” sobre a camada portadora da composição =]

E assim ficou o nosso exemplo do dia, uma imagem ilustrada sem esforço algum!

Dito isso meus caros aprendizes, vejo vocês no nosso próximo assunto!

The TV Room

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, Linux, O GIMP, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , , , , , on maio 22, 2010 by phenonart

Caros,

Sinto pela minha involuntária ausência, mas não é momento para desculpismos ou mesmo prolixianismos. Assim, hoje nós vamos explanar sobre um assunto que muito agrada que é a transformação cenarial quantitativa abstrata, ou seja como transformar um ambiente fazendo uso apenas dos objetos já pré-existentes em cena.

Comecemos escolhendo dentre o nosso acervo a imagem do dia :

Escolhida a imagem do dia vamos começar adicionando mais vida ao objeto principal do trabalho de uma maneira pouco convencional, vamos trocar de “canal”:

Comecemos selecionando toda a área visível da tela da nossa tv:

Feito isso vamos pintar esta área de branco para deixar o nosso ambiente mais limpo e sem lembranças da imagem antiga, este passo é importante pois assim poderemos delimitar a área a ser preenchida  com mais comodidade:

E nós ficamos assim :

Visto isso, escolha uma nova imagem para compor o objeto principal do trabalho:

Agora copie a área previamente selecionada  no objeto principal da imagem base do nosso trabalho e cole-o na imagem escolhida no local que desejar em forma de nova camada:

Feito isso, faça uso da ferramenta de corte delimitando apenas a área da mesma =] :

Feito isso, basta executar o corte :

Prontinho, agora a nova imagem tem o tamanho sob medida para preencher o vazio em nossa tv =] :

Agora basta colar a imagem que acabamos de cortar, não se esquecendo de descartar sua camada branca primeiro =] :

Agora desfaça a seleção e duplique a camada base do trabalho, isto porque agora vamos realçar o ambiente como um todo de maneira que as cores obtenham tons mais quentes:

Feito isso, aplique sobre a nova camada o efeito de camada denominado “Mesclar Grãos” =] :

E temos =] :

Note que esta ação resultou em um profundo enaltecimento dos tons avermelhados da imagem, acontecendo o mesmo com os tons mais claros =]

Poderíamos até parar por aqui, mas vamos dar um toque de decoração nas paredes *(é eu sei…sem comentários).:

Crie uma nova camada transparente e sobre a mesma crie uma pequena composição com pincéis fazendo uso de preenchimento preto:

Feito isso duplique a camada portadora da composição e inverta suas cores:

Feito isso aplique o efeito de camada “Sobrepor” sobre ambas as camadas portadoras das composições e mova delicadamente a composição branca até que volume se forme sobre a preta:

Feito isso, faça uso da borracha em ambas camadas afim de que os detalhes “não realistas” sejam erradicados:

E a nossa sala ficou assim =]:

Hora de transforma-la em um plano espectral abstrato:

Comecemos combinando as camadas visíveis e duplicando a resultante:

Feito isso espelhemos a nova camada e sobre a mesma ainda aplique o efeito de camada denominado “Multiplicar”:

Agora mova esta camada para onde desejar e repita o processo até que boa parte da imagem fique com tonalidade única:

Satisfeito, combine as camadas visíveis e duplique a resultante:

Feito isso, aplique sobre esta camada o efeito de camada denominado “Diferença” , isto fará com que a imagem se anule totalmente de cor temporariamente =] :

Agora espelhe esta camada e veja o que acontece =] ! Isso mesmo, agora temos uma mistura de tom único majoritário =]!

Vamos agora acrescentar um detalhe especial , espirais espelhadas:

Comece criando uma nova camada transparente, depois selecione e ative a ferramenta degradê, em seguida selecione o modelo tubular vermelho com transparência *(pode-se optar pelo verde também) e aplique sobre a nova camada transparente em formato de espiral no sentido horário ou inverso:

Agora duplique a camada portadora do seu novo degradê e aplique sobre esta ainda o efeito de camada denominado “Diferença”, feito isso, mova-a delicadamente até que uma sensível diferença de tons se forme:

Feito isso troque o efeito de camada da camada duplicada para o efeito denominado “Extrair Grãos” =] :

Note como a diferença de tons se torna brutal :

Feito isso, torne as camadas que não portam degradês invisíveis e combine as camadas restantes =] :

Feito isso, torne novamente todas as camadas visíveis e sobre a camada resultante do processo anterior aplique o efeito de camada denominado “Luz Dura”:

Para potencializar o efeito, duplique esta camada mais algumas vezes =] :

E nós ficamos assim =] :

Para finalizar deixo uma pegadinha :

Como foi feito o nivelamento coloral visto na imagem abaixo ?

Dito isso meus caros, vejo vocês no nosso próximo assunto!

El Diablo TV

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp tutoriais, gimp tutorial, Linux, O GIMP, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , on dezembro 21, 2009 by phenonart

Caros,

Antes de começar a explanar sobre o nosso assunto do dia, gostaria de introduzir *(no bom sentido hehe) uma novidade, a partir deste documento os artigos poderão ser acompanhados por screencasts! =] Pois é, como vocês se comportaram relativamente bem esse é  o meu presente natalino pra vocês, dito isso vamos ao assunto do dia:

Hoje vamos explanar a respeito da suavização de bordas e traços de uma imagens através do desfoque de cor em camada aditiva:

Visto isso meus caros aprendizes, vejo vocês no nosso próximo assunto!

Nas entranhas selecionais

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, O GIMP, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , , on outubro 9, 2009 by phenonart

Caros,

O assunto do dia remete as metodologias de criação de objetos a partir de deformações internas em objetos sólidos criados a partir de bordas vazadas, apesar de parecer complicado é algo na realidade extremamente simples e funcional. Vamos lá?

Comecemos criando uma nova imagem de tamanho livre com cor de fundo á gosto e dentro da mesma executando uma seleção com padronagem também livre:

entran1

Criada a seleção, vamos agora enevoar as bordas da mesma, esta ação tem como serventia permitir que fragmentos do que for depositado dentro da seleção vazem de forma suave e sutil para forma dos limites propostos pela mesma =]. Para realizar tal ação basta clicar com o botão direito do mouse sobre a area selecionada e acessar a ferramenta solicitada:

entran2

A interface da ferramenta perguntará a valoração do enevoamento, quanto maior este for maior será o rastro residual deixado =] :

entran3

Quando satisfeito clique em “ok” e sua seleção ficará assim:

entran4

Hora de começarmos=], escolha um pincel de longo raio e preferêncialmente de traço sólido e aplique-o dentro da seleção:

Pois é, repare como ele “vaza” de forma gradual e contínua para fora dos limites da mesma!:

entran5

Feito isso vamos ao clímax do dia, desative a seleção e duplique a camada base do trabalho invertendo suas cores em seguida:

entran6

Feito isso, aplique sobre a nova camada o efeito de camada denominado “Extrair Grãos”, sua serventia nada mais é do que emparelhar as estruturas colorais de modo que linhas intermediárias entre os objetos possam ser criadas com a simples movimentação da camada de cima! =]

entran7

Após o efeito aplicado, tente mover delicadamente a camada supracitada e veja o que acontece : As linhas mencionadas acima dão um novo contorno ao objeto!:

entran8

Feito isso já temos a peça chave para criar os desenhos internos que dão nome ao assunto do dia =]

entran9

Agora combine as camadas visíveis e duplique a resultante, sobre esta última aplique o efeito de camada denominado “Somente Clarear” movendo-a em seguida para onde desejar =], esta ação por si só criará a composição =].

entran10

Para preencher o restante da imagem basta duplicar tal camada quantas vezes quiser movendo as novas camadas para onde desejar dentro da imagem=]:

entran11

E assim termina o nosso exemplo do dia =], note que os rastros deixados pelo vazamento do objeto para fora dos limites da seleção criou o rastro necessário para a sustentação do objeto sobreposto! =]:

entran12

Dito isso meus caros aprendizes, vejo vocês no nosso próximo assunto!

Make a right corner

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, Linux, O GIMP, razgriz, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , , , , on setembro 4, 2009 by phenonart

Caros,

o assunto do dia remete a mais um “pedido” de um aluno, referente a aplicar movimento a uma imagem de conceito estático através do emprego do efeito “borrão” muito comum em fotografias urbanas com movimento, sua utilidade mór é distorcer objetos e dar sensação de velocidade aos mesmos.

Comecemos escolhendo a imagem do dia:

Escolhida a imagem vamos começar aplicando de imediato a tão solicitada “sensação de movimento” da seguinte maneira:

Tal processo se dá por estágios, começamos primeiro analisando a imagem visando mapear os setores que necessitam de ação seletiva, no caso de imagens envolvendo automóveis podemos dizer que as rodas merecem prioridade 1. Dito isso, primeiro duplique a camada base, em seguida fazendo uso da ferramenta de seleção elíptica selecione a área que necessita da ação seletiva :

rightone1

Pulo do gato: Agora observe o angulo de ataque da roda e mova o cursor do mouse até a mesma, anotando em seguida seu posicionamento em pixel s*(no caso do exemplo do dia: 626 x 810 pixel s) tal informação consta na interface portadora da imagem em seu canto inferior esquerdo:

rightone2

De posse disto vamos ao filtro responsável pela mágica do dia, ele se denomina “Borrão de Movimento” e o caminho até o mesmo pode ser visto abaixo:

rightoneantesdo3

Aberto o filtro vamos agora avaliar que tipo de movimento precisamos simular, tomando como exemplo para ação seletiva a roda, é virtualmente inegável que o parâmetro radial se mostra ideal, depois basta inserir as coordenadas que anotamos anteriormente para que o movimento se desencadeie próxima ao centro das coordenadas fornecidas, no caso do parâmetro “Y” eventuais correções podem vir a ser necessárias dependendo do angulo de ataque do fragmento. Para finalizar o ajuste, escolha um ângulo de ataque de baixa valoração para deixar o fragmento apenas com a sensação da velocidade desejada:

rightone3

Quando estiver satisfeito autorize o filtro a trabalhar:

Eis aqui : É absolutamente normal que alguns trechos sejam afetados pela ação do filtro em demasia, para corrigir o problema basta fazer uso cauteloso da ferramenta “borracha” presente na caixa de ferramentas principal do Gimp. As imagens abaixo ilustram este processo:

rightone4

rightone5

rightone6

Após apagar todas as discrepâncias e desfazer a seleção nós ficamos assim =]:

Note como a roda apresenta a sensação de movimento desejada:

rightone7

O processo para fazer o mesmo com a outra roda é similar, porém dependendo do posicionamento e ângulo de ataque da mesma a abordagem e abrangência da seleção podem mudar já que a ferramenta de seleção tem a sua forma geométrica base alterada para melhor encaixar no fragmento pretendido:

rightone8

Uma vez aberto novamente pequenas correções nos parâmetros são ecessenciais já que o ângulo de ataque nem sempre colabora na obtenção do ponto de referência:

Repare como os parâmetros são próximos mas não os exatos “134×806” obtidos em x e y na interface portadora da imagem:

rightone9

E não se esqueça de fazer uso da “borracha” para corrigir as discrepâncias!

rightone10

Agora que já fizemos o movimento seletivo, vamos ao grosso da imagem, no caso a sensação de velocidade virá através de riscos lineares a serem criados pelo filtro. Para tanto duplique a camada base da imagem e mova-a para o topo da hierarquia das camadas arrastando a mesma para cima na interface de controle de camadas:

rightone11

Aberto o filtro, mude o parâmetro de orientação de aplicação para Linear e configure um angulo de ataque que seja compatível com a direção na qual o veiculo ou objeto está “se movendo”, o comprimento é a seu gosto:

rightone13

Eis oque temos após o filtro trabalhar:

rightone14

Para fundir a nova camada ao trabalho de maneira que a sensação de movimento faça o seu papel basta aplicar sobre esta camada o efeito de camada denominado “Luz Dura”” -=]:

rightone15

Caso deseje amplificar o efeito basta duplicar a camada do mesmo =]:

rightone16

Para quem preferir ampliar o leque de possibilidades :

Troque o efeito de camada destas camadas pelo efeito denominado “Super-Exposição”:

rightonepre17

Repare que o efeito subtrativo de grande abrangência alterou de forma sutil mas marcante a estrutura luminosa do trabalho de maneira que uma grande area negra se formou na parte inferior do automóvel, isso nos deixa espaço para embarcar uma pequena composição abstrata dentro do trabalho =]:

rightone17

Eis aqui:

rightone18

E assim ficou o nosso exemplo do dia =] :

rightone19

Então meus caros, hoje nós aprendemos a arte de aplicar movimento a objetos estáticos através do uso do efeito “borrão” =].

Dito isso, vejo vocês no nosso próximo assunto!

A necropse Pós Textem

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, inkscape, Inkscape tutoriais, Linux, O GIMP, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , , , , , , on julho 3, 2009 by phenonart

Caros,

Hoje vamos novamente falar sobre tipografia e seus métodos de implantação em superfícies diversas,

Comecemos criando dentro do Inkscape um texto ou mesmo arte simplória abstrata de cor sólida:

IPC: Caso o seu objeto tenha mais de um componente não esqueça de dar o comando denominado “União” para torna-lo uma peça única.

necrotext1

Agora duplique o  objeto e preencha-o de branco, em seguida mova-o ligeira e delicadamente para qualquer direção:

Note que esta ação resultou em um leve relevo que poderia ser utilizado também em inúmeras situações.

necrotext2

Agora é hora de dar “brilho” =]:

Aplique sobre este objeto degradê Linear:

necrotext3

Agora utilizando a ferramenta de ajuste de degradês vamos redirecionar o foco estrutural luminoso do objeto de maneira que o mesmo abranja toda a area de maneira uniforme na vertical:

necrotext4

Eis oque temos até aqui:

Para quem deseja apenas “metal” esse tipo de coisa poderia ir direto para uso por exemplo.

necrotext5

Agora antes de continuarmos vamos a um pequeno adendo=]:

Experimente mover o nosso objeto que sofreu a ação do degradê um pouco para os lados sem tanta delicadeza e veja o que acontece: =]

Esse tipo de efeito é relativamente comum em certas peças publicitárias que remetem a ambientes mais libertinos como por exemplo restaurantes “exóticos” ou mesmo “gourmet”, lojas de acessórios joviais e coisas do gênero. Para o seu uso bastaria eliminar as partes desnecessárias oriundas da movimentação do objeto mais claro. Façamos o seguinte:

necrotext6

Duplique o objeto negro e depois selecione todos os objetos que compõem o trabalho, finalmente acione a ferramenta “clip” cuja localização pode ser vista abaixo e pronto=]:

necrotext7

Agora basta dar um uso qualquer =].

necrotext6

Visto isso, de um “Ctrl+z” algumas vezes para  desfazer o processo acima e voltarmos ao nosso plano original:

IPC: Para quem quiser dar um ganho de luz ao trabalho basta duplicar o primeiro objeto selecionando-o e aplicando o comando “Ctrl+D”.

necrotext5

Agora duplique*(Ctrl+D) o ultimo objeto e preencha-o com preto sólido, mandando o em seguida para trás dos demais objetos:

necrotext8

Agora basta desfoca-lo um pouco e pronto! Temos agora o mesmo com uma branda faixa flutuante por baixo permitindo inúmeros encaixes em diversas aplicações =]:

necrotext9

necrotext10

Muito bem, agora vamos inverter a tão falada superfície por uma de auto contraste:

Duplique todo o trabalho *(selecione todos os objetos e dê o comando “Ctrl + D”) e coloque o clone resultante de forma concorrente ao original  pressionando a tecla “Ctrl” durante o processo. Por fim sobre o “clone”, duplique seu ultimo objeto *(Ctrl+D) preenchendo o resultante com preto sólido e delicadamente diminua-o de tamanho de maneira congruente utilizando para isso o comando “Ctrl+Shift+F9” através do seu teclado. Depois basta mover de forma tênue o objeto diminuído e pronto!=]

necrotext11

Eis aqui os nossos dois pequenos exemplos prontos para o Export:

necrotext12

O tamanho é de sua escolha =]:

necrotext13

Agora que já estamos no Gimp, vamos ao dito “Pulo do gato”:  A transparência de um arquivo png também pode nos ajudar a customizar uma arte feita no Inkscape sem demora =].:

necrotext14

Comecemos pela parte mais “clara” do nosso exemplo:

Crie uma nova camada transparente aplicando em seguida o efeito de camada denominado “Multiplicar”, em seguida crie uma pequena composição com pinceis negros sobre a arte que criamos, veja que os resíduos dos pincéis que ficaram de fora  da arte foram engolidos pelo vazio da transparência=]

necrotext15

Não tenha pressa aqui =]

necrotext16

Hora do nosso exemplo negro =]:

Aqui o processo é similar mas com diferenças gritantes, crie uma nova camada transparente e aplique sobre a mesma o efeito de camada denominado “Esconder”, depois basta criar uma composição com pinceis brancos ou de tonalidade clara sobre a mesma e pronto =]:

necrotext17

Não tenha pressa =]

necrotext18

Eis aqui as crianças do dia :

necrotext19

Agora basta salvar o arquivo com a  extensão “.PNG” e pronto =]:

necrotext20

Para finalizar o nosso costumeiro trabalhinho para casa:

Crie uma composição regular que apresente o mesmo padrão de preenchimento da parte formada por ligas de luz da imagem:

necrotext21

Dito isso meus caros, vejo vocês no nosso próximo assunto!

Quando a borda abraça a letra

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, inkscape, Inkscape tutoriais, Linux, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , , , on junho 27, 2009 by phenonart

Caros,

o documento do dia vem tratar de um pedido um tanto quanto pedido por vocês que é a criação de textos  com bordas salientes. Comecemos abrindo o Inkscape .

Agora escolha ma fonte e digite um texto ou palavra de sua escolha :

enb1

Feito isso vamos agora eliminar o preenchimento interno do nosso objeto e adicionar borda ao mesmo:

Para isto acesse a interface de preenchimento do objeto e elimine primeiro o preenchimento interno do objeto assim como foi feito no exemplo abaixo:

enb2

Agora acesando a aba denominada “Pintura de Traço”, atribua uma cor sólida a borda do objeto:

enb3

Agora amplie a largura da borda a níveis astronômicos de maneira que a mesma invada literalmente o vazio interno do objeto:

enb4

Feito isso, duplique o objeto *(Ctrl + d) e faça o processo inverso ao que acabamos de executar, ou seja,  elimine o preenchimento de traço

e deixe o novo objeto com preenchimento sólido:

enb5

Agora pressionando a tecla “Ctrl” alinhe o novo objeto com o original de modo que o novo fique dentro do mesmo, depois atribua uma nova cor contrastante com a do objeto original:

enb6

Agora um pouco de brilho:

Duplique o novo objeto e preencha-o com a mesma cor da borda do primeiro objeto, em seguida mova-o delicadamente e de forma tênue para qualquer direção como no exemplo abaixo:

enb7

Feito isso  aplique degradê linear sobre o objeto no qual estamos trabalhando:

enb8

Agora utilizando a ferramenta de reposicionamento de degradês, recalibre a estrutura luminosa de maneira que a mesma abranja todo o objeto de baixo para cima ou de cima para baixo de maneira relativamente uniforme

enb9

Agora, crie uma pequena arte usando oque você aprendeu hoje e exporte o trabalho para que possamos termina-lo no Gimp:

enb10

enb11

Eis aqui o arquivo exportado:

text3302

Agora que estamos no Gimp, crie uma nova camada transparente sobre o trabalho:

enb12

Agora crie uma pequena composição com pinceis dentro desta camada utilizando a cor atribida a “borda” de contorno do objeto:

enb13

Agora repita o mesmo processo aplicando o pincel com ligeira diferença de local proporcionando volume, utilizando como cor de preenchimento do pincel  branco:

enb14

Eis oque temos até aqui:

enb15

Hora do nosso “pulo do gato” : Aplique sobre esta camada o efeito de camada denominado “Sobrepor” e veja oque acontece:

enb16

Agora basta adicionar um fundo qualquer e estamos prontos para o uso =] , no caso este exemplo não tem fundo definido deixando isso a cargo da cor oficial do meu pensamento.

enb17

E para casa -=]… Crie uma composição de conceito livre utilizando os conceitos hoje aqui abordados.*(dedicado ao CCA-BR*)

enb18

Dito isso meus caros, vejo vocês no nosso próximo assunto!

%d blogueiros gostam disto: