Arquivo para gimp tutorial

Degradês Volumétricos

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, Linux, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais with tags , , , , , , , , , , on março 14, 2009 by phenonart

Caros ,

Hoje iremos estudar o processo de criação de um degradê com lacunas transparentes. Apesar da criação de degradês não ser um assunto novo para nós, é necessário que a sua atenção seja redobrada aqui devido a complexidade elevada de alguns procedimentos que iremos executar no decorrer deste documento.

Comecemos com um truque bem básico que é criar novos degradês a partir das especificações de modelos pré-existentes:

Para criarmos um degradê volumétrico com padrão tubular não precisamos de muito esforço pois um dos pré existentes já atende aos pré-requisitos de forma bastando que suas cores sejam alteradas, para preservar o original vamos duplica-lo e trabalhar sobre o seu clone. As imagens abaixo ilustram este processo:

A título de serviço crie uma nova imagem em branco com tamanho livre e sobre a mesma coloque uma camada transparente, isto servirá para testarmos o novo recurso que está sendo criado:

degradesvolumetricos1

Dentro da lista de degradês, duplique o modelo supra-citado e marcado na lista abaixo:

degradesvolumetricos3

Como se pode notar tal degradê é composto por diversos seguimentos, então, para facilitar o nosso trabalho vamos ampliar o Zoom do mesmo:

degradesvolumetricos2

Para ampliar o Zoom basta clicar sobre o ícone hachurado até que se possa distinguir os seguimentos de maneira clara:

degradesvolumetricos3el

Após a ampliação, a alteração do degradê a nossa vontade  é muito simples,  primeiro selecione um dos lados para se trabalhar:

degradesvolumetricos4el

Agora é que vem o “pulo do gato”, é possível modificar as cores sem alterar a sua tonalidade original, para isto na ocasião da abertura da interface da paleta de cores NÃO modifique a posição das barras concorrentes mas sim apenas a escala de cores postada ao seu lado onde se pode escolher a cor primária, na figura abaixo esta pode ser facilmente identificada pela presença do ponteiro do mouse sobre a mesma:

degradesvolumetricos5el

Aqui já temos a cor modificada do lado do seguimento escolhido sem prejuizos a tonalidade, agora basta repetir o procedimento com o lado restante do seguimento que está sofrendo a intervensão:

degradesvolumetricos6el

Repare que como os seguimentos são celulas indepentendes podemos efetuar alterações de cor sem prejuizo aos demais:

degradesvolumetricos7el

degradesvolumetricos8el

degradesvolumetricos9el

Neste caso optei por deixar os seguimentos mais extensos em verde e os dois menores mais claros em rubro:

degradesvolumetricos10el

Eis oque temos na imagem de teste:

Repare que a dupla de cores formada criou uma borda dando ainda mais profundidade ao padrão físico de aplicação do degradê:

degradesvolumetricos11el

Para criar um “degrau” em degradês que gozem do mesmo formato visto anteriormente basta mover um pouco para a esquerda o cursor de delimitação de valores luminosos *(branco)  do seguimento localizado imediatamente antes dos mais escuros, executando justamente o trabalho oposto com o seguimento que vem logo depois do que está sofrendo a intervenção. A imagem abaixo destaca o primeiro passo supracitado:

degradesvolumetricosantesdo12el

Eis a sua aplicação na imagem teste pré alteração:

degradesvolumetricos12el

Nota-se o “degrau” criado de forma visível:

degradesvolumetricos13el

E do “Zero”?

A criação de um degradê com volume não é de fato complicada apesar de exigir certa atenção, o primeiro passo é replicar o seguimento inicial. As imagens abaixo ilustram este processo:

degradesvolumetricosante4

degradesvolumetricos4

Para se criar transparencia em um dos seguimentos basta deixar o seu lado de “saida” *(out) transparente, fazendo este procedimento com seguimentos opostos se obtem um padrão volumétrico. Na imagem abaixo temos um seguimento com distribuição luminosa favorecida ao seguimento mais curto onde graças a quebra de luz entre os seguimentos formou-se um “degrau”*(seguimento curto) seguido de um seguimento com transparencia negra.

degradesvolumetricos14el

Após a aplicação das cores á gosto eis oque temos:

degradesvolumetricos15el

Para transformar o primeiro seguimento em um semi-degrau, bastou-se dar enfase ao lado com padrão luminoso mais forte destacando a ampulheta para o lado com menor concentração de luz.  A alteração de cor dos lados de qualquer seguimento é critério livre em qualquer caso:

degradesvolumetricos16el

Se combinarmos diversos padrões de degradês volumétricos  em uma mesma imagem e alguns pinceis em camada separada nós temos:

fini

Ou ainda um padrão único aplicado a uma imagem com simetria e alguns pinceis nós temos? =]:

degradesvolumetricos17el

Hoje aprendemos a criar degradês volumétricos com seguimentos indepentendes intercalados =], vejo vocês no nosso próximo assunto!

Anúncios

lECUBEZ

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, Linux, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial, wordpress with tags , , , , , , , , , , , on março 25, 2008 by phenonart

Acabei de chegar do feriado, e no carro vim ouvindo um disco que passei pra cd que eu adoro, chama-se “The best Hollywoood songs” (Não é do cinema, mas sim dos comerciais de cigarros, principalmente dos anos 80) , e isso me inspirou a escrever sobre caixas feitas apenas de texto=] Vamos lá?

Comecemos criando uma nova imagem congruente, 800×800 é um bom exemplo=]

Criada a nova imagem, selecione a ferramenta de texto presente na interface principal do Gimp e escreva uma palavra ou um uma pequena frase e depois posicione o que você acabou de digitar em uma das extremidades da imagem

cbas

Depois, preencha a area útil da imagem com novas frases e ou palavras ou ainda apenas duplicando e espelhando a camada de texto até que todos os espaços tenham sido preenchidos:

fgha

Depois de terminar o procedimento acima, você ainda pode aplicar um efeito que desejar ao texto caso deseje um resultado mais elaborado no final do processo=] .Para o exemplo, decidi utilizar a boa e velha técnica de duplicar a camada do texto, aplicar uma cor contrastante e mover um pouco essa camada sobre a original=] :

fty

Quando você terminar de aplicar o efeito*(lembre-se que ele é OPCIONAL, você decide se aplica ou não) torne a camada primária*(background) da imagem INVISÍVEL clicando sobre o “olho” ao lado do nome da camada :

fdr

É agora que começa a nossa mágica=], abra o filtro Mapear Objeto e na aba primária marque antes de mais nada os campos “criar uma nova imagem” e “deixar imagem transparente”. Para quem não se lembra do caminho até o filtro, basta acompanhar a imagem abaixo:

gdgec

Uma vez no filtro, ainda na primeira aba, selecione a forma geométrica primária denominada “Caixa” e em seguida, vá para a aba denominada como “Orientação” uma vez lá, determine os parâmetros referentes ao posicionamento vertical, horizontal e o volume do seu objeto:

ghder

Caso você deseje ainda pode uniformizar a iluminação do objeto zerando os parametros “X” e “Y” e ampliando o valor do parâmetro “Z” para um valor superior a 3,5 na aba “Luz”:

luzds

Uma vez satisfeito, clique em “OK” e aguarde o processamento. É NORMAL que o processo seja lento afinal não é uma tarefa simples essa que demos para o filtro executar, porém isso não impede que você possa executar outras tarefas seja em edição de imagens, desenho vetorial, edição de audio moderada, edição de video leve*(ao menos 1GB ram) e ou ainda com outro programa qualquer,*(regra valida apenas para quem usa alguma distro LINUX e possui pelo menos 256mb ram, se você utiliza windows seja qual versão for recomendo não mexer em nada e ir tomar um café e a salvar o seu trabalho antes de encostar no filtro responsável pelo trabalho sujo. )

e é assim que ficamos até aqui:

resuft

Agora, basta aplicar um degrade do seu interesse e ou adicionar uma imagem em forma de nova camada que esteja dentro do conceito do que você escreveu, aplicando a ela o efeito de camada “multiplicar” afim de que a mesma se torne parte do seu trabalho, em fim, as possibilidades são infinitas! Mas abaixo eu mostro algumas:

azyu

gcds

ccvvd

Ahhh sim, quase esqueci, deixei uma palavra escondida na imagem acima, cabe a vocês descobrirem o que eu escrevi =], vejo vocês no nosso próximo assunto!=]

%d blogueiros gostam disto: