Arquivo de janeiro, 2009

O Rio Severino e os Paralamas Ilustrados

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, inkscape, Linux, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro with tags , , , , , , , , , , on janeiro 26, 2009 by phenonart

Caros,

hoje fiquei ouvindo um disco dos  “Paralamas do Sucesso” chamado “Vamo batê lata” que fora gravado ao vivo e me trouxe uma imagem bem viva na cabeça de um falso vetor, coisa que aprenderemos a criar e controlar agora.

Comecemos escolhendo uma imagem para usar como exemplo do dia, escolha algo que preferencialmente se encaixe em algum conceito que lhe agrade:

severinies1

Uma vez aberta a imagem, duplique a sua camada base, esta nova camada será a base para o efeito de falso vetor a ser incorporado a imagem original:

severinies2

Feito isso vamos agora fazer o uso da ferramenta denominada “Limite”, ela é a grande responsável pelo efeito de ilustração a ser obtido nesta etapa do nosso trabalho:

severinies3

Após o carregamento da interface da ferramenta, ajuste o grau de detalhamento através do nível de preto a ser utilizado:

severinies4

Satisfeito clique em “ok”, não é necessário aguardar o processamento pois a atualização é em tempo real. Agora é hora de definirmos como queremos que o resultado final fique, para tal vamos ativar um pouco a sua mente. Aplique o efeito de camada denominado “Mesclar Grãos” sobre esta camada e veja oque acontece =]:

severinies5

Agora vejamos, se reduzirmos a opacidade em cerca de 40% nós temos um esboço mais natural =]:

severinies6

Aqui temos o resultado do exemplo até aqui em boa resolução:

severinies7

Muito bem, agora vamos levar a coisa para um nível um pouco mais complexo mesclando dois conceitos para formar um só, para tal vamos começar transformando nosso exemplo do dia em um embrião de foto antiga preservando também a imagem pré efeito:

severinies9

Não é preciso se preocupar em demasia para com os ajustes desta ferramenta mas é fundamental deixar uma valoração baixa ou nula para a borda uma vez que não a queremos aqui hoje:

severinies10

Eis o resultado da ação do filtro:

severinies11

Muito bem, agora copie o resultado da ação do filtro e cole na imagem preservada em forma de nova camada:

severinies12

Agora já temos a faca e o queijo na mão, vejamos o que acontece quando se aplica um efeito de camada subtrativo como  o “Somente Escurecer” por exemplo:

severinies14

Ou ainda quando aplicamos o também subtrativo denominado “Multiplicar”:

severinies15

Agora se eu duplicar a camada portadora do efeito de camada subtrativo eu tenho? =]

severinies16

Agora trocando o efeito da nova camada para Super-exposição eu tenho? =]

severinies17

E este é o resultado final do nosso exemplo do dia:

severinies18

Hoje aprendemos a controlar e a criar falsos vetores a partir de imagens pré existentes =] Vejo vocês no nosso próximo assunto!

O Vórtice Ocular

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, Linux, razgriz, software livre, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , , , , on janeiro 24, 2009 by phenonart

Caros,

O assunto do dia fala sobre um mito que diz que o abstrato pode aproximar trechos de objetos “naturais ou pré -existentes” de uma imagem qualquer e hoje nós vamos ver se o mito cumpre o que promete. Vamos lá?

Comecemos escolhendo a imagem que irá compor o nosso exemplo do dia:

vortcez11

Agora crie uma nova camada transparente para em seguida irmos ao filtro responsável por grande parte do trabalho do dia:

vortcez2

Após o carregamento da interface, gere um espectro com entrelace lacrado, ou seja, que a linha estrutural chave seja interligada formando um abrigo interno. Abaixo temos alguns exemplos:

vortcez3

Depois de escolhido o espectro a ser gerado, autorize o filtro a trabalhar:

vortcez4

Eis o que temos, agora vamos tornar o espectro visível dentro do nosso trabalho:

vortcez5

Para tanto aplique sobre a camada portadora do mesmo o efeito de camada denominado “Super-Exposição”:

vortcez6

Agora é que vem a grande sacada, redimensione o espectro até que ele se encaixe nas extremidades da area que se deseja destacar, depois mova-o espetro caso ele fique fora da posição correta após o redimensionamento:

vortcez7

Aqui nós temos o espectro já redimensionado e em seu devido lugar destacando a iris do olho utilizado como exemplo:

vortcez8

Agora duplique a camada portadora do espectro a fim de realçar o destacamento

vortcez9

Feito isso, vamos dar um trato nestas cores criando alguns conceitos contrastantes =]

vortcez10

O grande segredo quando se trabalha com a frequencia de tonalidade em sua valoração padrão*(1,00)  é  trabalhar a frequencia e a fase da luminosidade com valorações abaixo de 0,70 pois isto fará com que a imagem não adquira discrepancias quanto a uniformidade dos tons e cores:

vortcez111

Eis o resultado da mistura de tons verdes=]:

vortcez12

Agora vejamos, se eu decidir zerar a frequencia de tonalidade e na fase optar pelo vermelho, posso agora alterar a frequencia de saturação de modo que apenas os setores da imagem que eu desejar preservem cor :

vortcez13

E aqui estamos =]:

vortcez14

E se eu duplicar a camada atribuindo a nova camada o efeito de camada denominado “Luz Dura” eu tenho? =]:

vortcez15

E este é o resultado final do nosso exemplo do dia:

vortcez16end

Pois bem, agora você já sabe como destacar fragmentos de uma imagem utizando um espectro =].

Vejo vocês no nosso próximo assunto! =]

EnerMagia

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, inkscape, Linux, razgriz, Sem-categoria, software livre with tags , , , , , , , , , , on janeiro 21, 2009 by phenonart

Caros,

hoje lembrei de um efeito estrutural relativamente complexo mas espetacular aos olhos, chama-se espectro coloral com perspectiva avançada, vamos começar ?

Comecemos criando um novo degradê com lados transparêntes e centro sólido.  A criação deste tipo de recurso não é um assunto novo para nós, porém devido a complexidade do procedimento a ser aqui descrito este “retorno” se faz necessário.

Acesse a interface portadora dos seus degradês:

energics1

Feito isso, vamos agora começar a criar  nosso novo degradê, note que em seus estágios iniciais deste processo são idênticos aos que vimos no documento que aborda este recurso de forma exclusiva:

energics2

Agora vamos replicar o seguimento 3 vezes a fim de obtermos celulas de trabalho independentes:

energics3

energics4

O “pulo do gato”:

Vamos agora tornar os lados direito e esquerdo transparentes de modo que apenas o “meio” possua cor, em suma é um procedimento simples mas que requer atenção, vamos a ele:

Primeiro selecione o lado no qual se quer trabalhar primeiro, depois clique sobre ele com o botão direito do mouse e selecione a opção hachurada na imagem abaixo:

energics5

Faça com ambos os lados da celula:

energics6

Vejamos como ficou então a celula na qual estamos trabalhando:

energics7

Agora repita este procedimento com a celula presente na lateral direita ou esquerda conforme for o seu caso.

Feito isso, você pode agora escolhr uma nova cor para a celula central para contrastar com o preto e modificar a proporção da mistura entre ambas se assim desejar:

energics8

E aqui temos o exemplo pronto para uso =]:

energics9

Agora que já nos aquecemos vamos criar uma estrutura complexa bi color fazendo uso primário do degradê que acabamos de criar, comecemos criando uma niva imagem de fundo preto e aplicando o degradê com orientação a seu gosto dentro de uma nova camada transparente:

energics10

Agora vamos  realçar a perspectiva das linhas, para isto, duplique a camada do degradê e sobre esta nova camada aplique o efeito de camada denominado “Super-exposição”. Para amplificar tal efeito basta duplicar esta camada algumas vezes:

energics11

Agora veja o que acontece se espelharmos uma destas camadas =] :

energics12

Agora aplique o efeito de camada denominado “Valor” sobre esta camada que foi espelhada:

Pronto já temos nossas duas cores primárias -=] :

energics13

Vamos adicionar contornos retos a nossa estrutura de ma maneira muito simples, para tal combine as camadas visíveis  duplique  a resultante, adicione e trave o canal alfa a mesma e em seguida aplique o filtro denominado “Ilusão” a seus gosto:

Repare que vocẽ ainda pode adicionar uma “grade” ao seu trabalho para dar um ar mais sofisticado ao seu trabalho:

energics14

Para linhas mais limpas sugiro utilizar valoração entre -2 e +2 no quesito divisão :

energics15

Terminado o traalho do filtro apliqe o efeito de camada denominado “Super exposição” e pronto =]

energics16

Agora deixo a vocês um pequeno exercício qe consiste em descobrir como eu cheguei aos resultados abaixo:

dois BIZUS:

Primeiro : Em algum momento foi aplicada simetria entre a metade de um objeto e outro formando um encaixe perfeito

Segundo : O filtro responsável por metade do trabalho se chama “Mosaico Pequeno”

energics17

energics18

A sombra da maldade

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, gimp tutorial, Linux, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , , , , on janeiro 19, 2009 by phenonart

Caros,

Não sei mesmo como esse assunto passou desapercebido por mim durante tanto tempo, vamos falar sobre o contraste negativo e positivo =]:

Vamos começar criando uma nova imagem de tamanho razoável, 1200×1600 pixel s ja é suficiente, dentro desta nova imagem aplique um degradê bipartido em forma de espiral longa:

cidnegra1

Feito isso, crie uma composição com pincéis em novas camadas ou nesta própria a seu critério utilizando a ferramenta aerógrafo, preferencialmente utilizando a cor luz *(branco), para ajudar neste processo coloque uma musica e deixe ela guiar você=]:

cidnegra2

Quando você terminar combine todas as camadas visíveis e abra o nosso já intimo filtro denominado “Mapeamento Alien“:

cidnegra3

O grande segredo está na frequencia e na fase da luminosidade sob as seguintes diretrizes:

A frequencia da luminosidade com valoração entre 0,85 e 1,25 sempre promoverá brilho intenso e contraste acentuado quando houver interseção com áreas ausentes de cor

A fase da luminosidade amplia o embate visto acima sempre que sua valoração fica entre ZERO e 14,1, acima disso ela amplia o contraste entre a cor luz e a ausência de cor

cidnegra4

cidnegra5

Satisfeito clique em “ok” e aguarde o processamento:

Mui bem, estamos na reta “final”, duplique a camada e sobre a nova camada aplique o efeito denominado ” Multiplicar”, isto irá esconder os pequenos defeitos de iluminação e enaltecer o contraste:

cidnegra6

Repare na diferença:

cidnegra7

Eis como ficou:

cidnegra8

E quanto ao alto contraste com objetos?

É um pouquinnnho mais complicado, vamos a ele:

Primeiro há de se escolher o objeto e no caso do exemplo do dia é este aqui:

cidnegra9

Pois bem, aplique sobre a aimagem escolhida por você o mesmo conceito visto anteriormente no filtro mapeamento alien :

cidnegra10

cidnegra11

Quando o filtro terminar a tarefa, copie o que você criou na imagem anterior e cole sobre o objeto em forma de nova camada:

Sobre a mesma, aplique o efeito de camada denominado “esconder”:

cidnegra12

O grande truque vem agora, escolha dentre o seu acervo algum pincel que seja um splash ou crie uma composição irregurar utilizando a ferramenta “Borracha” para esta tarefa:

cidnegraantesda13

cidnegra13

Agora você pode deixar como está:

final1

OU….aplicar o Mapeamento Aien para repotencializar o contraste =]

final2

E esta é a mecânica básica de uso do alto contraste =] oque signfica que a variedade de variações encima destes conceitos não tem tamanho.

Vejo vocês no nosso próximo assunto!

A Pantera e a Luz

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, inkscape, Linux, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial, wordpress with tags , , , , , , , , on janeiro 19, 2009 by phenonart

Caros,

Hoje nós vamos levar o conceito senóide a um patamar mais intimista estreitando as conexões entre os laços do espectro gerado, não estranhe se um certo ar nostálgico dos anos 70 der o ar da graça =].

Comecemos criando uma nova imagem sem preocupações especiais com tamanho, acredito que para este momento 640×480 pixel s é suficiente. Criada a nova imagem vamos direto ao filtro denominado “Seno” responsável por gerar o nosso espectro base do dia. O processo de confecção do espectro de hoje é bastante similar aos anteriores porém este possui uma etapa rija a mais, dito isso vamos começar:

tapana1

Aberto o filtro, gere o espectro com formato e estrutura a seu gosto, a mistura de cores é a mesma rija ao branco e preto e vice e versa:

tapana2

Como você pode ver, utilizando o recurso “Frente e Fundo” podemos definir a ordem de mistura das cores alterando drásticamente a orientação pespectiva do espectro:

tapana3

Agora é que vem a alteração que mencionei antes, selecione o degradê sinuoso para alisar o espectro, ao termino e satisfeito clique em “ok”:

tapana4

Até aqui temos um espectro bem próximo aos executados em documentos anteriores certo?

tapana5

Agora é que vem o grande tempero:

Duplique a camada base e sobre a nova camada aplique o efeito de camada denominado “Super Exposição” =], repare que duplicando esta camada mais uma vez o efeito subtrativo do efeito de camada afina ainda mais os contornos do nosso espectro:

tapana6

Agora vamos esquentar as coisas hehe, combine todas as camadas visíveis e criei sobre a resultante uma nova camada transparente, dentro dela coloque um degradê com predominância azul a seu gosto:

tapana7

Agora aplique sobre esta camada o efeito de camada subtrativo denominado “Subtrair” =-]:

tapana8

Agora duplique esta camada =]:

tapana9

Agora experimente utilizar o que aprendemos sobre fractais em uma nova camada com degradê -=]

tapanapre10

tapanapre10second

Veja como não é necessário nem mesmo adaptar o efeito de camada pré-existente =]:

tapana10

tapana11

É isso ai, vejo vocês no nosso próximo assunto! =]

Ihh cara essa foto saiu meio “bunda” … da pra aproveitar ainda?

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, gimp tutorial, Linux, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro with tags , , , , , , , on janeiro 18, 2009 by phenonart

Caros,

A frase que da nome ao assunto do dia é um fragmento de um dialogo engraçadíssimo ocorrido no ano passado no meu local de trabalho , desculpem não colar o dialogo na integra pela sua extensão e “palavras mau-criadas” mas resumindo a frase diz que as fotos vieram com as cores “mortas” ou para quem bem entende “sem vida” e hoje nós vamos ver bizus elementares sobre como consertar esta “cagada orbital”:

Seria anti-ético da minha parte utilizar a fotografia “estopim” da frase, então escolhi estas para ilustrar o exemplo do dia não esquecendo que você naturalmente escolherá as suas meu caro(a)  aprendiz:

lolita_long_tongue_stock_by_lolitagirlie_stock

wrath_viii_by_fetishfaerie_stock

E …

762645_58516776

Vamos começar pelo caso mais simples :

Aparentemente a imagem está com o conceito bem vivo porém ainda lhe falta “sal”

lolita_long_tongue_stock_by_lolitagirlie_stock

Para amplificar o conceito eis o “pulo do gato:

Duplique a camada base da imagem e inverta a sua estrutura coloral, as imagens abaixo ilustram esta primeira etapa:

edgezt1

edgezt2

Agora aplique sobre esta camada o efeito de camada denominado “Extrair Grãos”:

edgezt3

Veja o que aconteceu=]:

edgezt4

Agora vamos amplificar um pouco mais, duplique esta camada e aplique sobre ela o efeito de camada denominado “Super-Exposição” . Feito isso escolha um pincel ou um set de sua preferência crie uma pequena composição sobre esta camada utilizando a ferramenta borracha:

edgezt5

Eis o que temos até aqui:

edgezt6

Agora que já nos aquecemos vamos tornar as coisas mais “claras”:

Vejamos, se eu repetir o processo de realce podemos notar algumas pequenas diferenças no trato mas não no braçal técnico, vamos a elas:

wrath_viii_by_fetishfaerie_stock

Repare que quando se inverte a ausência de cor em contraste com a predominância da cor luz o fundo se torna branco e o objeto em si o negro ausente de cor:

edgezt7

Porém isso não prejudica em nada o nosso trabalgho no uso da tecnica aqui discutida:

edgezt8

edgezt9

Outra coisa legal deste tipo de conceito é que é possível deixa-lo com um ar mais sombrio através de uma pequena modificação, vamos a ela:

Duplique a camada que sofreu a inversão de cores e sobre esta aplique o efeito de camada denominado “Subtrair”, depois duplique esta mesma camada para amplificar o efeito.

edgezt10

edgezt11

Agora vamos aplicar o que aprendemos a um cenário e não a um objeto sem fundo :

Sim, abaixo nós vemos os mesmos elementos utilizados para modificar a primeira imagem do dia. =-]

edgezt12

Como dever de casa exercitem estes conceitos em 3 imagens diferentes.

Vejo vocês no nosso próximo assunto!=]

O Cubo Senóide

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, inkscape, Linux, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 14, 2009 by phenonart

Caros,

hoje vamos adentrar ainda mais dentro do território da ferramenta “Seno” cujas propriedades podem criar anagramas infinitos de cubos esferas e triangulos criando verdadeiras peças encaixáveis entre si, o nome disto é o “Cubo Senóide”.

Comecemos com um exercício básico para reaquecer vocês, primeiro crie uma imagem de proporções congruentes, pessoalmente acredito que 500×500 pixel s está de bom tamanho por agora:

cubchuby1

Criada a imagem vá direto ao filtro renderizador denominado “Seno” cujo caminho pode ser visto abaixo:

cubchuby2

Uma vez aberto, crie um padrão de linhas paralelas relativamente contrastantes sendo que este padrão não requer fixação ou seja você pode direcionar o espectro para a diagonal ou mesmo curva-lo se desejar. cor luz e negro casam bem como cores formadoras nesta situação:

cubchuby3

Eis o resultado da ação do filtro:

cubchuby4

Pulo do gato :

Duplique a camada base e rotacione a nova camada em 90 graus sentido horário ou anti-horário a sua escolha:

cubchuby5

cubchuby6

Agora aplique sobre esta camada o efeito de camada denominado “Sub-Exposição” e…=]

cubchuby7

Como bem sabemos este efeito de camada possui um “irmão gêmeo” subtrativo denominado “Super Exposição”, vejamos o que ocorre se utilizarmos o mesmo:

cubchuby8

Aqui deixo mais este pequeno exemplo feito a partir de outra variação espectral para abrir essas mentes cansadas =]:

tricker

Agora que já nos aquecemos vamos elevar o tom de refino para algo mais “macio” :

Para tanto delete a camada de cima mantendo apenas a camada base da imagem, feito isso crie uma nova camada transparente e retorne ao filtro renderizador denominado “Seno”.

Carregada a interface do filtro, molde o espectro de maneira que o mesmo adquira contornos sinuosos a sua escolha, depois na aba “mistura” selecione a forma de degradê “Bilinear” para que o espectro fique com os pontos de contato relativamente lisos e não ásperos, trabalhe um pouco a valoração do expoente para amplificar tal efeito. Satisfeito clique em “ok” e aguarde o processamento:

cubchuby91

Terminado o trabalho do filtro aplique sobre esta camada o efeito de camada denominado “Super-Exposição” e veja oque temos =]

cubchuby10

Agora vamos adicionar o toque de profundidade proposto pelo título deste documento. Primeiro combine todas as camadas visíveis do trabalho e  depois utilizando a ferramenta de seleção retangular ou qualquer outra ferramenta de seleção de sua preferência crie formas geométricas distintas interligadas ou não a seu critério:

cubchuby11

cubchuby13

Feito isso, copie a seleção e cole-a em forma de nova camada:

cubchuby14

Agora vamos abrir o nosso velho conhecido filtro denominado “Mapear Objeto” cujo caminho pode ser visto abaixo:

cubchuby12

Após o carregamento do filtro, escolha uma das formas geométricas básicas a seu gosto assim como o molde e as medidas, apenas não se esqueça de marcar o recurso denominado “Fundo Transparente”:

cubchuby15

Satisfeito deixe o filtro trabalhar:

cubchuby16

Terminado o trabalho do filtro, veja o contraste pespectivo gerado =], agora basta duplicar esta camada algumas vezes e posicionar onde desejarmos os novos objetos afim de amplificar tal efeito =]:

cubchuby17

cubchuby18

Acredito que agora vocês já tem a capacidade de comandar o cubo senoide sem maiores dificuldades.

Vejo vocês no nosso próximo assunto!

%d blogueiros gostam disto: