Arquivo de Tutoriais

The TV Room

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, Linux, O GIMP, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , , , , , on maio 22, 2010 by phenonart

Caros,

Sinto pela minha involuntária ausência, mas não é momento para desculpismos ou mesmo prolixianismos. Assim, hoje nós vamos explanar sobre um assunto que muito agrada que é a transformação cenarial quantitativa abstrata, ou seja como transformar um ambiente fazendo uso apenas dos objetos já pré-existentes em cena.

Comecemos escolhendo dentre o nosso acervo a imagem do dia :

Escolhida a imagem do dia vamos começar adicionando mais vida ao objeto principal do trabalho de uma maneira pouco convencional, vamos trocar de “canal”:

Comecemos selecionando toda a área visível da tela da nossa tv:

Feito isso vamos pintar esta área de branco para deixar o nosso ambiente mais limpo e sem lembranças da imagem antiga, este passo é importante pois assim poderemos delimitar a área a ser preenchida  com mais comodidade:

E nós ficamos assim :

Visto isso, escolha uma nova imagem para compor o objeto principal do trabalho:

Agora copie a área previamente selecionada  no objeto principal da imagem base do nosso trabalho e cole-o na imagem escolhida no local que desejar em forma de nova camada:

Feito isso, faça uso da ferramenta de corte delimitando apenas a área da mesma =] :

Feito isso, basta executar o corte :

Prontinho, agora a nova imagem tem o tamanho sob medida para preencher o vazio em nossa tv =] :

Agora basta colar a imagem que acabamos de cortar, não se esquecendo de descartar sua camada branca primeiro =] :

Agora desfaça a seleção e duplique a camada base do trabalho, isto porque agora vamos realçar o ambiente como um todo de maneira que as cores obtenham tons mais quentes:

Feito isso, aplique sobre a nova camada o efeito de camada denominado “Mesclar Grãos” =] :

E temos =] :

Note que esta ação resultou em um profundo enaltecimento dos tons avermelhados da imagem, acontecendo o mesmo com os tons mais claros =]

Poderíamos até parar por aqui, mas vamos dar um toque de decoração nas paredes *(é eu sei…sem comentários).:

Crie uma nova camada transparente e sobre a mesma crie uma pequena composição com pincéis fazendo uso de preenchimento preto:

Feito isso duplique a camada portadora da composição e inverta suas cores:

Feito isso aplique o efeito de camada “Sobrepor” sobre ambas as camadas portadoras das composições e mova delicadamente a composição branca até que volume se forme sobre a preta:

Feito isso, faça uso da borracha em ambas camadas afim de que os detalhes “não realistas” sejam erradicados:

E a nossa sala ficou assim =]:

Hora de transforma-la em um plano espectral abstrato:

Comecemos combinando as camadas visíveis e duplicando a resultante:

Feito isso espelhemos a nova camada e sobre a mesma ainda aplique o efeito de camada denominado “Multiplicar”:

Agora mova esta camada para onde desejar e repita o processo até que boa parte da imagem fique com tonalidade única:

Satisfeito, combine as camadas visíveis e duplique a resultante:

Feito isso, aplique sobre esta camada o efeito de camada denominado “Diferença” , isto fará com que a imagem se anule totalmente de cor temporariamente =] :

Agora espelhe esta camada e veja o que acontece =] ! Isso mesmo, agora temos uma mistura de tom único majoritário =]!

Vamos agora acrescentar um detalhe especial , espirais espelhadas:

Comece criando uma nova camada transparente, depois selecione e ative a ferramenta degradê, em seguida selecione o modelo tubular vermelho com transparência *(pode-se optar pelo verde também) e aplique sobre a nova camada transparente em formato de espiral no sentido horário ou inverso:

Agora duplique a camada portadora do seu novo degradê e aplique sobre esta ainda o efeito de camada denominado “Diferença”, feito isso, mova-a delicadamente até que uma sensível diferença de tons se forme:

Feito isso troque o efeito de camada da camada duplicada para o efeito denominado “Extrair Grãos” =] :

Note como a diferença de tons se torna brutal :

Feito isso, torne as camadas que não portam degradês invisíveis e combine as camadas restantes =] :

Feito isso, torne novamente todas as camadas visíveis e sobre a camada resultante do processo anterior aplique o efeito de camada denominado “Luz Dura”:

Para potencializar o efeito, duplique esta camada mais algumas vezes =] :

E nós ficamos assim =] :

Para finalizar deixo uma pegadinha :

Como foi feito o nivelamento coloral visto na imagem abaixo ?

Dito isso meus caros, vejo vocês no nosso próximo assunto!

O Cubo Senóide

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, inkscape, Linux, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 14, 2009 by phenonart

Caros,

hoje vamos adentrar ainda mais dentro do território da ferramenta “Seno” cujas propriedades podem criar anagramas infinitos de cubos esferas e triangulos criando verdadeiras peças encaixáveis entre si, o nome disto é o “Cubo Senóide”.

Comecemos com um exercício básico para reaquecer vocês, primeiro crie uma imagem de proporções congruentes, pessoalmente acredito que 500×500 pixel s está de bom tamanho por agora:

cubchuby1

Criada a imagem vá direto ao filtro renderizador denominado “Seno” cujo caminho pode ser visto abaixo:

cubchuby2

Uma vez aberto, crie um padrão de linhas paralelas relativamente contrastantes sendo que este padrão não requer fixação ou seja você pode direcionar o espectro para a diagonal ou mesmo curva-lo se desejar. cor luz e negro casam bem como cores formadoras nesta situação:

cubchuby3

Eis o resultado da ação do filtro:

cubchuby4

Pulo do gato :

Duplique a camada base e rotacione a nova camada em 90 graus sentido horário ou anti-horário a sua escolha:

cubchuby5

cubchuby6

Agora aplique sobre esta camada o efeito de camada denominado “Sub-Exposição” e…=]

cubchuby7

Como bem sabemos este efeito de camada possui um “irmão gêmeo” subtrativo denominado “Super Exposição”, vejamos o que ocorre se utilizarmos o mesmo:

cubchuby8

Aqui deixo mais este pequeno exemplo feito a partir de outra variação espectral para abrir essas mentes cansadas =]:

tricker

Agora que já nos aquecemos vamos elevar o tom de refino para algo mais “macio” :

Para tanto delete a camada de cima mantendo apenas a camada base da imagem, feito isso crie uma nova camada transparente e retorne ao filtro renderizador denominado “Seno”.

Carregada a interface do filtro, molde o espectro de maneira que o mesmo adquira contornos sinuosos a sua escolha, depois na aba “mistura” selecione a forma de degradê “Bilinear” para que o espectro fique com os pontos de contato relativamente lisos e não ásperos, trabalhe um pouco a valoração do expoente para amplificar tal efeito. Satisfeito clique em “ok” e aguarde o processamento:

cubchuby91

Terminado o trabalho do filtro aplique sobre esta camada o efeito de camada denominado “Super-Exposição” e veja oque temos =]

cubchuby10

Agora vamos adicionar o toque de profundidade proposto pelo título deste documento. Primeiro combine todas as camadas visíveis do trabalho e  depois utilizando a ferramenta de seleção retangular ou qualquer outra ferramenta de seleção de sua preferência crie formas geométricas distintas interligadas ou não a seu critério:

cubchuby11

cubchuby13

Feito isso, copie a seleção e cole-a em forma de nova camada:

cubchuby14

Agora vamos abrir o nosso velho conhecido filtro denominado “Mapear Objeto” cujo caminho pode ser visto abaixo:

cubchuby12

Após o carregamento do filtro, escolha uma das formas geométricas básicas a seu gosto assim como o molde e as medidas, apenas não se esqueça de marcar o recurso denominado “Fundo Transparente”:

cubchuby15

Satisfeito deixe o filtro trabalhar:

cubchuby16

Terminado o trabalho do filtro, veja o contraste pespectivo gerado =], agora basta duplicar esta camada algumas vezes e posicionar onde desejarmos os novos objetos afim de amplificar tal efeito =]:

cubchuby17

cubchuby18

Acredito que agora vocês já tem a capacidade de comandar o cubo senoide sem maiores dificuldades.

Vejo vocês no nosso próximo assunto!

Olho & Óleo

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, inkscape, razgriz, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro with tags , , , , , , , , , on dezembro 5, 2008 by phenonart

Caros,

Hoje nós vamos tratar de um assunto simples mas que ainda da nó na cabeça de grande parte dos alunos regulares e anônimos que vem buscar informações aqui.

Vamos analisar o processo de transformação de uma fotográfia em pintura a óleo.

Comecemos escolhendo uma imagem para servir de exemplo para o assunto do dia, para isto eu escolhi a imagem abaixo:

tomatoes_on_the_vine_by_cyborgsuzystock

Antes de mais nada DUPLIQUE a camada base da imagem,  depois selecione a nova camada resultante deste processo pois começaremos trabalhando sobre ela.

Direto a raiz:

Comecemos atacando a imagem diretamente em sua essência, para tal utilizaremos o filtro artístico denominado “Pintura a Óleo” cujo caminho pode ser visto abaixo:

aeonseolis1

Com a sua interface completamente carregada podemos falar um pouco sobre ela:

O tamanho da máscara determina o quanto da imagem será afetado pela ação do filtro de maneira direta.

O dialogo “Usar mapa de tamanho de máscara” faz com que os traços sigam as linhas originais da imagem. Quanto mais alto for o seu expoente mais abrangente se torna esta vertente.

O dialogo denominado Usar mapa de expoente faz com que os traços sigam uma linha mais coesa batendo de pronto com a imagem original.

O dialogo do uso do algorítimo de intensidade faz com que os níveis de cor se mantenham fieis aos da imagem original com suas devidas proporções e diferenças dispersivas.

aeonseolis2

Eis o resultado da ação do filtro:

aeonseolis3

Agora aplique o efeito de camada denominado Somente escurecer sobre a camada onde aplicamos o filtro:

aeonseolis4antesdoagusse

Agora combine as camadas visíveis. Feito isso vamos adicionar um pouco de aspereza a imagem reforçando seus traços, para tal utilizaremos ofiltro denominado “Aguçar” cujo caminho pode ser visto abaixo:

aeonseolis4

Como podemos ver sua utilização é muito simples bastando determinar o grau de valoração da acuidade desejada. Para este exemplo do dia uma valoração acima de 50 é requerida. Para traços mais bem definidos repita a operação se necessário;

aeonseolis5

Agora duplique a camada base e sobre a nova resultante aplique o efeito de camada denominado “Multiplicar” :

aeonseolis6

Para obtermos uma estrutura luminosa mais presente, duplique a camada mais nova e sobre a camada resultante desta ação aplique o efeito de camada denominado “Luz Dura”:

aeonseolis7

Pronto! =]

hazardsadus

Simples assim =]

Vejo vocês no nosso próximo assunto!

The RockY BoXes

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Fedora, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, inkscape, Linux, razgriz, sl rj, slrj, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial with tags , , , , , , , , , on agosto 30, 2008 by phenonart

A leitura do documento anterior é imprescindível para um bom aproveitamento deste.

Caros aprendizes,

hoje nós iremos elevar o nível de complexidade dos nossos assuntos de maneira relativamente acentuada, então é vital que os níveis de atenção e dedicação sejam redobrados para um desempenho otimizado. Prosseguindo, no assunto de hoje iremos falar sobre vetores sincretizados assimétricos ou resumindo : Sinergia Vetorial.

Comecemos escolhendo a imagem dentro do nosso acervo que será a progenitora do conceito que desejamos passar, no caso do exemplo de hoje a escolhida foi a imagem abaixo:

Escolhida a imagem, importe a mesma para o Inkscape:

Agora apliquemos sobre a imagem importada o efeito “Traçar Bitmap”, afim de que a mesma se torne um vetor de traços simplificados.

As imagens abaixo ilustram este processo:

Abaixo já temos a ferramenta em uso, note que você é livre para executar a intervenção da maneira que achar mais conveniente:

Após concluída a construção do espaço vetorial criado com a ferramenta anterior, vamos ao grande salto do dia que consiste na utilização do efeito “Extrudir” cuja serventia consiste em expelir os seguimentos centrais da construção vetorial para as suas extremidades, mas é melhor fazer do que dizer então, vamos direto ao ponto, Selecione a área vetorial resultante do que fizemos até aqui e abra o efeito “Extrudir”:

A imagem abaixo ilustra o caminho até o efeito supracitado:

Seu uso é simplificado graças a interface sucinta e minimalista, o recurso denominado “Magnitude” definirá o grau de aplacamento que a intervenção terá dentro da area vetorial construída através da sua valoração, já o recurso “Ângulo” determina qual será o angulo de ataque dos raios resultantes da expulsão centralizada de nós vetoriais centrais para as extremidades do área vetorial do objeto que sofrerá a intervenção.

Após a intervenção do efeito sobre a area vetorial construída, este é o resultado obtido:

Mas… ficou tudo….CHAPADO E PRETO?

Caros, nunca julguem o livro pela capa =], primeiro preencha o objeto com uma cor da sua preferência:

Agora na aba de preenchimento de traço, selecione uma cor contrastante com a que você escolheu para preencher o corpo do objeto e voilá =] :

Como se pôde notar durante a nossa jornada de hoje, não deletei da interface do inkscape o bitmap progenitor do objeto vetorial que construimos, tal peça foi preservada realçar a “frente” do nosso recém criado bloco de “pedra”*( logo você irá entender porque dei esse nome a isto). Para criar a frente, gere outra área vetorial idêntica a que geramos no começo e delete o bitpmap presente na interface do inkscape após tal processo, em seguida, encaixe o novo vetor sobre o primeiro objeto de maneira simétrica e hermética. As imagens abaixo ilustram esse processo:

Agora, vamos tornar este encaixe conceitualmente uniforme tornando as estruturas de cor dos objetos compatíveis entre si:

Para isto existem vários caminhos, o mais simples é colocar a mesma cor do objeto anterior com um tom sólido bem próximo do original:

Agora veja oque acontece se por acaso resolvemos aplicar o preenchimento em degradê Linear sobre o processo supracitado:

Ou ainda o preenchimento em degradê radial simples =]:

Agora sim posso dizer porque disse que isto era um bloco:

Duplique o mesmo *(Ctrl+ D) algumas vezes ou ainda crie novos objetos utilizando oque fizemos aqui ou não de maneira a criar literalmente um MURO com volume! =]:

Agora que já nos aquecemos vamos exportar o nosso “muro digital” para usofruto em outros programas sem o stress adicional dos nós vetoriais, como o Gimp por exemplo:

Não esqueça de exportar na resolução adequada para o uso que você fará do arquivo depois, no meu caso resolvi usar como papel de parede:

Pois é, nosso exemplo agora esta assim:

Agora abra o seu trabalho no Gimp, vamos aproveitar e extrair o interno do nosso assunto através do split-off de pixels =], não tenha medo pois as imagens abaixo ilustram este processo com clareza :

Neste primeiro movimento temos a imagem já devidamente “pavimentada” com um fundo branco:

Agora, aplique um degradê de tom semelhante ao original do objeto em forma de nova camada e sobre esta aplique o efeito de camada denominado “Diferença”:

Agora digamos que eu só queria que a ação sobre o objeto seja vista e não sobre o “todo”, ou seja, vamos literalmente eliminar o plano de fundo azulado residual fazendo uso da ferramenta de seleção por COR, seu uso é extremamente simples, mas antes de utiliza-la apenas para fins de organização, combine todas as camadas visíveis e abaixo da resultante, crie uma camada com fundo preto por baixo. Voltando a questão do manuseio da ferramenta, basta clicar sobre a cor que se deseja selecionar e pronto, todas as áreas de cor eqüidistante serão selecionadas, caso você ainda deseje agregar mais áreas de outras cores semi-eqüidistantes basta manter a tecla “Shift” pressionada enquanto faz uso da ferramenta, para realizar ação oposta, ou seja subtrair áreas da seleção basta precionar a tecla “Control”*(Ctrl) enquanto faz uso da ferramenta=]:

Depois de feita a seleção, basta fazer uso da ferramenta borracha a seu gosto =]:

Visto isso, você pode criar diversas composições utilizando o que aprendemos sobre construções aditivas e subtrativas, sem esquecer do que aprendemos anteriormente =]:

Neste pequeno exemplo temos o uso simétrico da duplicagem aplicada a camada do nosso objeto, submissas a aplicação de um degradê regido pelo efeito de camada denominado “Diferença” com padrão orienta tivo espiralado com um uma camada gradiana *(efeito “grade”) submisso ao efeito de camada “Sobrepor”.

E é assim que encerramos o exemplo do dia =] :

E abaixo um pequeno desafio: Como o exemplo do dia ficou assim:?

Vejo vocês no nosso próximo assunto!

lECUBEZ

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, Linux, software livre, Sotware Livre Rio de Janeiro, Tutoriais, tutorial, wordpress with tags , , , , , , , , , , , on março 25, 2008 by phenonart

Acabei de chegar do feriado, e no carro vim ouvindo um disco que passei pra cd que eu adoro, chama-se “The best Hollywoood songs” (Não é do cinema, mas sim dos comerciais de cigarros, principalmente dos anos 80) , e isso me inspirou a escrever sobre caixas feitas apenas de texto=] Vamos lá?

Comecemos criando uma nova imagem congruente, 800×800 é um bom exemplo=]

Criada a nova imagem, selecione a ferramenta de texto presente na interface principal do Gimp e escreva uma palavra ou um uma pequena frase e depois posicione o que você acabou de digitar em uma das extremidades da imagem

cbas

Depois, preencha a area útil da imagem com novas frases e ou palavras ou ainda apenas duplicando e espelhando a camada de texto até que todos os espaços tenham sido preenchidos:

fgha

Depois de terminar o procedimento acima, você ainda pode aplicar um efeito que desejar ao texto caso deseje um resultado mais elaborado no final do processo=] .Para o exemplo, decidi utilizar a boa e velha técnica de duplicar a camada do texto, aplicar uma cor contrastante e mover um pouco essa camada sobre a original=] :

fty

Quando você terminar de aplicar o efeito*(lembre-se que ele é OPCIONAL, você decide se aplica ou não) torne a camada primária*(background) da imagem INVISÍVEL clicando sobre o “olho” ao lado do nome da camada :

fdr

É agora que começa a nossa mágica=], abra o filtro Mapear Objeto e na aba primária marque antes de mais nada os campos “criar uma nova imagem” e “deixar imagem transparente”. Para quem não se lembra do caminho até o filtro, basta acompanhar a imagem abaixo:

gdgec

Uma vez no filtro, ainda na primeira aba, selecione a forma geométrica primária denominada “Caixa” e em seguida, vá para a aba denominada como “Orientação” uma vez lá, determine os parâmetros referentes ao posicionamento vertical, horizontal e o volume do seu objeto:

ghder

Caso você deseje ainda pode uniformizar a iluminação do objeto zerando os parametros “X” e “Y” e ampliando o valor do parâmetro “Z” para um valor superior a 3,5 na aba “Luz”:

luzds

Uma vez satisfeito, clique em “OK” e aguarde o processamento. É NORMAL que o processo seja lento afinal não é uma tarefa simples essa que demos para o filtro executar, porém isso não impede que você possa executar outras tarefas seja em edição de imagens, desenho vetorial, edição de audio moderada, edição de video leve*(ao menos 1GB ram) e ou ainda com outro programa qualquer,*(regra valida apenas para quem usa alguma distro LINUX e possui pelo menos 256mb ram, se você utiliza windows seja qual versão for recomendo não mexer em nada e ir tomar um café e a salvar o seu trabalho antes de encostar no filtro responsável pelo trabalho sujo. )

e é assim que ficamos até aqui:

resuft

Agora, basta aplicar um degrade do seu interesse e ou adicionar uma imagem em forma de nova camada que esteja dentro do conceito do que você escreveu, aplicando a ela o efeito de camada “multiplicar” afim de que a mesma se torne parte do seu trabalho, em fim, as possibilidades são infinitas! Mas abaixo eu mostro algumas:

azyu

gcds

ccvvd

Ahhh sim, quase esqueci, deixei uma palavra escondida na imagem acima, cabe a vocês descobrirem o que eu escrevi =], vejo vocês no nosso próximo assunto!=]

%d blogueiros gostam disto: