Arquivo de outubro, 2008

Estruturas metálicas? =]

Posted in computação gráfica, Computação Gráfica Livre, Dirty job, gimp, Gimp Documentação, Gimp tutoriais, gimp tutorial, Linux, razgriz, software livre, Tutoriais, tutorial with tags , , , on outubro 18, 2008 by phenonart

Caros,

este é um pedido de algumas pessoas que trabalham em uma estamparia de camisetas que fica perto do meu bairro, essas pessoas gostariam de saber como criar padrões metalizados em poucos minutos e achei que isso seria valido para todos. Vamos lá?

Comecemos criando um fractal com estrutura luminosa de fortes contrastes com parâmetros superiores sustenidos contínuos, para esta tarefa iremos utilizar o nosso tão bem conhecido filtro renderizador denominado “Explorador de Fractais”. As imagens abaixo ilustram este processo:

A imagem abaixo ilustra o caminho até o filtro:

Para criar o padrão solicitado, selecione primeiro da lista presente na aba denominada “Fractais” um modelo sem grandes quebras estruturais, bons exemplos seriam “Marble” e “Marble2”, feito isso, na aba denominada “Parâmetros” trabalhe com os parâmetros “Superior” e “Inferior” de maneira que o espectro fique esticado como o da imagem abaixo. Quanto a padronagem das listras é possível altera-las fazendo uso dos parâmetros denominados “Direito” e “Esquerdo”:

Prosseguindo, finalizemos escolhendo um padrão estrutural de cor em degradê de contraste forte e com grandes desníveis de soma e subtração de cor alternadas, abaixo podemos ver um padrão já selecionado que se encaixa dentro deste perfil apesar de possuir apenas duas cores básicas:

Satisfeito, clique em “OK” e aguarde o processamento:

Feito isso, duplique a camada base sobre a qual criamos o fractal :

Feito isso rotacione a nova camada á gosto:

Rotacionada a camada, aplique sobre a mesma o efeito de camada aditivo denominado “Somente Clarear”:

Agora duplique esta mesma camada movendo as novas até que se forme um encaixe simétrico entre estas:

Feita a simetria, combine as camadas visíveis do trabalho :

IPC: Escolha SEMPRE a opção do meio para que não haja sangria ou deformações na imagem resultante deste processo.

Feito isso, duplique a camada resultante:

Sobre esta nova camada aplicaremos o filtro distorcivo denominado “Vento” cuja localização pode ser vista na imagem abaixo:

Uma vez aberto o referido filtro, configure o recurso denominado “Força” de maneira que o mesmo fique com valoração acima de 30, o recurso denominado “Limite” deve ter sua valoração entre 0 e10, o recurso denominado “Estilo” deve ser configurado para “Vento”. O recurso denominado “Direção” tem configuração livre, ou seja faça como desejar enquanto que o recursos denominado “Extremidade Afetada” deve ser configurado para o a modalidade de atuação denominada “Ambos”:

Após o processamento da ação executada pelo filtro aplique o efeito de camada denominado “Diferença”  e já temos o nosso aquecimento concluído =]:

Agora vamos partir para a ignorância :

Combine novamente as camadas visíveis e duplique a resultante, sobre esta nova camada aplique o efeito de camada subtrativo denominado “Somente Escurecer” depois selecione a ferramenta de movimentação presente na caixa de ferramentas do Gimp*(antiga interface principal) e mova esta nova camada gentilmente para a direita ou para a esquerda ou para cima ou para baixo e veja  o que acontece=], você ainda pode duplicar essa mesma camada mais vezes e realizar encaixes simétricos se assim desejar =]:

Agora vamos adicionar uma pequena surpresa dentro do exemplo do dia a fim de estimular o motor criativo de vocês =], para isto escolha uma imagem do seu acervo e converta-a para escala de cinzas ampliando um pouquinho o seu brilho e contraste a fim de dar mais enfase aos tons claros:

Copie a imagem escolhida e cole-a sobre o nosso trabalho em forma de nova camada:

Agora vem o segundo pulo do gato:

Selecione a nova camada que acabamos de criar, depois mova-a para baixo de maneira que ela fique entre a camada base e a camada que gerou o efeito detalhista subtrativo. Para isto, clique sobre a nova camada *(no caso deste exemplo seria a do rosto) e arraste-a até que a mesma se encaixe entre as duas de baixo:

A ação anterior amplificou o nosso leque de possibilidades conceituais para com o nosso exercício do dia, veja por exemplo o que acontece se aplicarmos ao exemplo um efeito de camada subtrativo como por exemplo o “Extrair Grãos”. Para isto, aplique o efeito de camada citado sobre a camada que movemos anteriormente=]:

Ou ainda aplicarmos o efeito de camada denominado “Somente Escurecer” =]:

Aproveitando este último, selecione a camada do topo e duplique-a afim de se gerar encaixes simétricos a seu gosto pelo trabalho:

Se desejarmos um tom ainda mais sombrio *(caso o seu conceito esteja dentro deste grupo claro) duplique a camada que leva a imagem que escolhemos para incorporar ao nosso trabalho e aplique sobre esta o efeito de camada subtrativo denominado “Super Exposição”:

Terminamos! =]

Agora deixo duas possibilidades finais bastando para isto modificar o padrão da estrutura luminosa das linhas estruturais =]

Ou assim =]:

Cole o trabalho em forma de nova camada sobre a imagem que escolhemos para anexar ao mesmo e aplique sobre esta nova camada o efeito de camada denominado “Super Exposição”, duplicando tal camada até que toda a imagem possa ser preenchida de forma simétrica:

É isso ai =], vejo vocês no nosso próximo assunto!

S.O.L.G

Posted in Gimp Documentação with tags , , , , , on outubro 15, 2008 by phenonart

Caros,

Hoje vamos aprender a criar objetos com ilusórias 3 dimensões, vamos lá?

Vamos começar o exemplo do dia criando um retângulo simples de cantos arredondados dentro do Inkscape com cor de nossa livre escolha:

Feito isso, crie um novo objeto circular em tom de cinza claro que contemple toda a extremidade superior do retângulo com o diâmetro desejado para a abertura volumétrica:

Agora vem o primeiro PULO DO GATO:

Duplique o circulo recém criado e dê ao novo objeto a cor preta para facilitar a visualização, depois pressione simultaneamente as teclas : “Ctrl, Shift e 9” . Isto fará com que o novo objeto criado seja redimensionado de maneira uniforme já centralizado com o seu objeto de origem quando aplicável! =]:

Feito isso vamos adicionar reflexo ao nosso objeto a fim de que o mesmo ganhe volume, para isto, duplique o retângulo que criamos primeiro e preencha-o de branco, depois aplique sobre este ultimo degradê linear com alteração da estrutura luminosa em forma horizontal e desfocagem*(Borrão) em torno de 10 % e para finalizar reduza um pouco a sua opacidade. As imagens abaixo ilustram este processo:

Retângulo branco criado:

Alteração da estrutura luminosa do degradê com a desfocagem já aplicada sobre o objeto com opacidade reduzida:

Agora basta selecionar os círculos criados anteriormente e levanta-los para o topo, dessa maneira o reflexo não irá afeta-los =]:

Aplicado o reflexo, vamos agora criar uma sombra para o nosso exemplo:

Para esta tarefa, duplique o círculo cinza e torne o mesmo preto, transformando o objeto em caminho, delete o nó da extremidade superior e mova esta parte da estrutura vetorial um pouco para baixo, em seguida aplique desfocagem sobre o objeto em torno de 5% :

Feito isso, decresça a seleção até que a mesma fique abaixo do nosso trabalho formando uma sombra:

Terminado o procedimento acima eis o que temos até aqui =]:

Agora que já temos o shape básico podemos prosseguir:

Para incrementar o exemplo do dia, escolha uma fonte de sua preferência e escreva algo, depois selecione a ferramenta “Belzier” e crie uma linha reta para em seguida utilizando a ferramenta de edição de nós vetoriais torna-la curva:

Feito isso, coloque o texto sobre o caminho do novo objeto criado, para isto, selecione ambos e clique em “Por no Caminho”:

agora basta alterar o caminho para que o texto se adeque a sua vontade, depois de brincar um pouquinho, faça com que o texto se adeque as diretrizes visuais do seu exemplo. As imagens abaixo ilustram este processo:

Texto já sobre o caminho:

No caso o entorse do exemplo se deu para que o mesmo possa contemplar o exemplo como um todo.

Selecionando apenas o caminho, vamos torna-lo invisível deixando seu traço sem cor:

Agora selecione o objeto texto, pinte-o da mesma cor escolhida para ser a cor do nosso trabalho e mova-o até que este esteja diretamente sobre o trabalho, depois reduza sua opacidade para cerca de 18%  abaixando a seleção até que ela fique por trás do degradê que aplicamos. Para finalizar, duplique o objeto texto mais duas vezes e sobre o objeto mais novo aplique nova cor para formar contraste. No caso do exemplo do dia o mesmo foi preenchido com preto.

Feito isso, voltemos nossas atenções para o círculo preto, vamos alterar sua estrutura luminosa a fim de que o mesmo possa dar algum volume interno ao nosso trabalho.

Para isto selecione-o e aplique degradê linear sobre o mesmo, depois altere a estrutura luminosa do degradê de cima para baixo conforme ilustrado abaixo:

Vamos agora adicionar um pequeno reflexo na parte interna do nosso trabalho, para isto crie um pequeno retângulo de cantos arredondados com preenchimento branco:

Agora reduza um pouco a sua opacidade e altere a sua estrutura luminosa utilizando degradê linear com alteração do seu tracejo de cima para baixo como pode ser visto na imagem abaixo:

Para finalizar, desfoque um pouco o novo objeto para que o mesmo se torne parte do nosso trabalho:

Terminamos? Sim, mas vamos a uma surpresinha final: É possível modificar a borda do nosso trabalho com uma ação bem simples:

Duplique o retângulo cinza e aplique sobre o mesmo degradê radial com padrão refletido estruturalmente semelhante ao visto na imagem abaixo, depois selecione o retângulo cinza antigo e este novo:

Depois aplique interseção sobre a seleção :

Voilá! =]

E aqui temos os dois objetos feitos pelo exemplo do dia =] :

E para finalizar um pequeno desafio :

Questão de prova para o grupo de alunos denominado “Os Processos”:

COMO EU CHEGUEI A ISTO?

Aos demais:

Vejo vocês no nosso próximo assunto! =]

Haren Firer

Posted in Gimp Documentação with tags , , , , , , on outubro 10, 2008 by phenonart

Isso me veio a mente no dia do lançamento do novo Gimp, mas só me lembrei de escrever sobre isso nesse momento, vamos aprender a trabalhar com deformações estruturais variáveis de objetos abstratos em trabalhos de forma indireta:

Comecemos criando uma nova imagem contendo um degradê de conceito livre com tamanho sugerido entre 800×600 e 1200×1600 pixel s:

Sobre o nosso recém criado degradê, crie uma nova camada branca e sobre a mesma, aplique o filtro distorcivo denominado “Apagar Linhas Alternadas”:

Agora aplique o efeito de camada subtrativo denominado “Sobrepor” e reduza a opacidade ainda desta camada para 50%. As imagens abaixo ilustram este processo:

Feito isso, vamos agora adicionar uma tênue grade a fim de formarmos encaixes de pixel s visíveis no nosso trabalho:

Para tal, crie primeiro uma camada transparente e aplique o recurso diretamente sobre a mesma:

O ajuste das linhas ou colunas a serem deletadas é de livre escolha porém o padrão atende bem ao exemplo do dia:

Executada a ação do filtro esta é a situação atual:

Ainda sobre a camada nova criada para sofrer a ação do filtro aplique o efeito de camada subrativo denominado “Sobrepor” , feito isso reduza sua opacidade para 30% .

IPC: Você pode trabalhar com o nível de opacidade que desejar porém isto irá afetar diretamente a forma que os encaixes de pixel s irão adotar no termino do exercício então encorajo você a executar testes para estimular a sua evolução =]:

Sobre o trabalho, crie uma pequena composição utilizando o aerógrafo, não se esqueça de utilizar quantas camadas achar necessário:

Quando terminar, combine as camadas visíveis e duplique a resultante:

Agora selecione a nova camada criada e abra o filtro distorcivo denominado “Deformação Interativa”:

É agora que vem o grande pulo do gato: =]

Lembram-se das maquinas de frozen? Pois bem, faça da camada que sofre a ação a mesma coisa que se vê dentro dessas maquinas =]:

Feito isso, aplique o efeito de camada denominado “Diferença” :

Agora combine as camadas visíveis e  duplique a resultante, depois utilizando a ferramenta de espelhamento faça espelhamento vertical aplicando em seguida o efeito de camada denominado “Somente clarear sobre esta camada:

Agora combine as camadas visíveis e duplique a resultante, depois aplique sobre esta ultima o efeito de camada denominado “Super Exposição” e utilizando a ferramenta de espelhamento execute espelhamento vertical e ou horizontal sobre esta camada:

Pronto! Abaixo temos um pequeno exemplo do que poderia ser feito caso continuássemos aplicando simetria ao resultado acima =]:

É isso ai, vejo vocês no nosso próximo assunto!

As tais tevelizões do “domingão”

Posted in Gimp Documentação with tags , , , , , on outubro 10, 2008 by phenonart

Caros,

Confesso que esse post não estava nos meus planos hoje, mas é sempre bom atender a uma duvida que por ventura possa ser de muitos e não só dos meus alunos então venho compartilhar isso com vocês hoje, vamos aprender a colocar uma imagem dentro de um desenho vetorial.

Vamos começar analisando diretamente como isto funciona na prática, para tanto escolha uma imagem qualquer do seu acervo e importe a para dentro do Inkscape:

Feito isso crie alguns objetos a revelia sobre a imagem, para o momento escolhi criar alguns círculos:

Para incrementar um pouquinho, escreva uma palavra qualquer para que possamos fazer um efeito de entorse circular, digitada a palavra, crie um novo círculo com diâmetro proporcional a torção que a palavra digitada sofrerá, por fim selecione ambos os objetos:

Feito isso, acesse o menu denominado “Texto” e clique no recurso denominado “Por no Caminho”:

Vejamos o resultado da ação executada, ela deixou o nosso texto com a entorse desejada, porém

“de cabeça para baixo”, para resolver este problema selecione apenas o círculo e clique no ícone do recurso de transformação direta denominado “Inverter Objetos selecionados verticalmente”:

A figura abaixo mostra o objeto texto já virado para cima, porém com sua escrita “ao contrário”, felizmente a solução é bem simples, basta um clique sobre o recurso denominado”Inverter objetos selecionados horizontalmente”:

Pronto =]:

Agora basta tornar o objeto círculo que mantem o nosso texto com esse formato invisível retirando o seu preenchimento de cor e traço:

Feito isso, basta clicar sobre o texto e posicioná-lo onde desejar =]

Criados os objetos que ilustrarão o nosso pequeno aquecimento, vamos ao que realmente importa:

Selecione todos os objetos visíveis *(neste exemplo são os brancos) menos a imagem *(bitmap), depois aplique o efeito denominado “União” afim de que todos se tornem apenas um único objeto:

Feito isso, selecione o objeto oriundo da ação anterior e a imagem de forma simultânea, em seguida aplique o efeito denominado “Clip” sobre estes:

Pronto! Acredito que as duvida da maioria foram sanadas até este ponto:

Agora que já nos aquecemos vamos montar um painel simétrico para exercitarmos o que acabamos de aprender =]

Para tanto apague tudo oque fizemos e escolha uma nova imagem:

Sobre e mesma crie uma composição com diversos objetos a seu gosto:

Feito isso selecione todos os novos objetos que você criou para esta composição depois clique no recurso “União” afim de que os mesmos se tornem um objeto único:

Agora duplique este novo objeto e pinte o novo objeto criado de preto para diferenciar do anterior, movendo-o para fora da figura, usaremos este objeto depois:

Voltando ao nosso objeto antigo, selecione ele e a imagem afim de mesclarmos os dois com o recurso denominado “Clip”:

Eis o que temos =]:

Agora suba a seleção de nível até que o objeto preto fique por baixo, depois mova um pouco o objeto que representa a imagem sobre este ultimo de maneira que um pequeno volume se forme. Feito isso, duplique estes objetos algumas vezes e crie um padrão simétrico como o mostrado a baixo:

Terminado o painel simétrico, exporte-o. Abra- o no Gimp junto com a imagem original e replique sobre esta última o padrão simétrico criado no inkscape:

Agora aplique algum efeito de camada aditivo de ação não intensa e voilá! =]

É isso ai, agora você já tem uma boa idéia do que pode ser feito com esse pequeno BIZU!

Vejo vocês no nosso próximo assunto!

Onde deixei os meus CDs?

Posted in Gimp Documentação with tags , , , , , , , , on outubro 7, 2008 by phenonart

Caros,

dando continuidade a nossa incursão pelo mundo “vetorial” da coisa, vamos hoje aprender a criar um CD, mas peço a vocês que não se limitem apenas ao objeto que criamos como exemplo, mas sim que utilizem tais conhecimentos para outros empregos conforme a necessidade for aparecendo, tal pedido vale também para os demais documentos.

Sem mais demora comece criando um circulo de bom tamanho mantendo a tecla “Ctrl” pressionada a fim de que suas proporções se mantenham congruentes:

Após criar o circulo, deixe-o sem preenchimento de cor, preenchendo seu traço com a mesma cor que você deseja que o cd assuma, porém em tom mais escuro. Em seguida engrosse o estilo do traço até que a borda se forme como mostra a imagem abaixo:

Feito isso, crie outro circulo com a mesma cor escolhida para a borda do primeiro, mas desta vez, preencha-o com esta cor, deixando seu traço sem preenchimento algum, para tal ação basta clicar sobre o “X” mostrado na interface de preenchimento de objetos. As imagens abaixo ilustram este processo:

Depois de preencher o circulo com a cor, basta ir até a aba denominada “Pintura do Traço” e clicar sobre o “X”, isso irá eliminar o traço de vista pois o mesmo não terá cor. Feito isso, posicione o novo circulo dentro do primeiro que criamos:

Agora, duplique este mesmo circulo e pinte-o de branco, em seguida aplique o sobre tal objeto degradê Linear com padrão de repetição refletido. Feito isso ajuste a orientação da distribuição visual do degradê aplicado com base na vista na imagem abaixo:

Agora duplique este mesmo circulo e preencha este novo de branco, depois reduza sua opacidade para 25% e aplique “Objeto para Caminho” tornando assim o circulo um objeto totalmente editável em todas as suas instâncias estruturais:

Feito isso, esculpa o objeto até que o mesmo forme um reflexo a seu gosto, tomando cuidado para que o mesmo não exceda os limites da borda:

Agora crie um circulo proporcionalmente menor ao primeiro criado no começo deste exercício e com as mesmas características de preenchimento, ou sejam apenas com a mesma cor na borda e sem cor em seu interior:

Feito isso, vamos agora alinhar os nossos objetos de forma centralizada, as imagens abaixo ilustram esse processo:

Primeiro vamos ativar a interface de alinhamento e distribuição de objetos:

Agora, selecione os objetos a serem centralizados, no caso o circulo recém criado e o primeiro, depois clique sobre o recurso denominado “Centralizar Verticalmente”:

Feito isso, duplique o circulo agora a pouco centralizado com o primeiro, preencha-o  de branco preservando a cor da borda e reduza seu tamanho proporcionalmente até que o mesmo fique semelhante ao visto abaixo:

feito isso, centralize o mesmo para com o circulo do qual o mesmo foi gerado:

Agora vamos criar a parte interna do nosso cd:

Crie um novo circulo com a borda sem preenchimento de cor e com preenchimento da mesma cor da borda do segundo circulo e coloque o mesmo lá dentro:

Em seguida abaixe a seleção até que a diferença se torne evidente ficando apenas o circulo branco exposto:

Agora, duplique este circulo e aplique sobre o mesmo preenchimento branco, em seguida aplique degradê linear com o padrão de distribuição luminosa visto abaixo:

Feito isso, abaixe a seleção até que o padrão abaixo seja alcançado, ou seja, com a borda aparecendo sob o circulo branco:

Depois basta centralizar o objeto =]

Visto isso, vamos criar um pouquinho de sombra por dentro =]

Crie um novo circulo com preenchimento negro ou cor próxima e coloque-o dentro do circulo branco sangrando um pouco a borda a fim de que o mesmo crie um pouco de volume:

Agora duplique o mesmo e preencha o recém criado de branco, depois achate um pouco este a fim de que um pequeno pseudo objeto se forme fazendo o papel de sombra, lembrando que a desfocagem é a seu critério:

Para completar, crie um pequeno reflexo criando um novo circulo branco com opacidade reduzida e transformando o mesmo em caminho esculpa-o da maneira que achar mais conveniente, como fizemos com o reflexo maior:

Apenas pense em como você acha que o mesmo deveria ou gostaria que fosse e molde os nós a gosto depois de transformar o objeto em caminho:

Pronto mas nem tanto, repare que as possibilidades são INFINITAS! Vamos terminar vendo pequenos exemplos de alterações na execução:

Se eu esticasse um pouquinho mais o primeiro degradê reflexivo veja como ficaria a parte de baixo do meu exemplo:

Isto já foi visto no exemplo do relógio, basta aplicar o efeito “Diferença para que o mesmo não altere os demais objetos não interessantes:

Para terminar, nem só de azul vive o mundo meus caros =] :

É isso ai, vejo vocês no nosso próximo assunto!

Olhei pro meu Despertador e pensei…

Posted in Gimp Documentação with tags , , , on outubro 4, 2008 by phenonart

Caros,

Acredito que seja o momento de ampliar o nível de complexidade das nossas tarefas em razão dos bons resultados demonstrados por aqueles que me procuram para tirar dúvidas ou simplesmente para mostrar as suas criações, mas isto não significa que irei abandonar aqueles que estão ingressando no universo da computação gráfica, para estes vou continuar escrevendo porém conteúdo sim mas não com freqüência.

Hoje vamos homenagear o “Jack Bauer” de “24 Horas” aprendendo a criar números como os que vemos nos relógios digitais =]

Comecemos criando dentro do Inkscape um retângulo de cantos arredondados que preencha de maneira eqüidistante as extremidades do formato padrão de marcação visto na imagem abaixo, as imagens abaixo ilustram esse processo:

Primeiro selecione a ferramenta de desenho retangular:

Clique e arraste esculpindo o retângulo até que o mesmo fique do tamanho da marcação padrão :

Aqui já temos o retângulo criado segundo a diretriz acima:

Para arredondar os cantos basta mover a pequena esfera que aparece enquanto se cria o retângulo com sua ferramenta chave ou mesmo quando se edita sua area vetorial, apenas tome cuidado para não arredondar por demais os cantos pois isto poderá afetar o resultado final.

Aqui já temos o nosso retângulo concluído bastando agora selecionar a ferramenta de movimentação de objetos para apreciar o resultado:

Feito isso, abaixo temos o nosso retângulo pronto para se transformar em um “digito universal” :

Continuemos agora preparando o terreno para o restante do nosso trabalho, para tanto reduza em torno de 45% a opacidade do retângulo criado e em seguida aperte as teclas “shift” e “#” do seu teclado simultaneamente a fim de que a grade seja exibida. Ela tornará o nosso trabalho muito mais preciso nos momentos a seguir:

Com a grade já esposta vamos agora tornar os seus quadrados internos maiores para facilitar o nosso trabalho uma vez que ela será nosso ponto de apoio por enquanto.

Para isto basta navegarmos até o menu de propriedades do desenho cujo caminho pode ser visto abaixo:

Uma vez ativado o menu de propriedades do desenho, somos apresentados a uma interface repleta de abas, sendo que a única que nos interessa para o momento é aba denominada “Grades”, a mesma tem esse nome porque podemos adicionar quantas grades julgarmos necessárias a um mesmo trabalho =].

Criação: tal caixa de valoração determina o tipo de grade a ser criada, porém isso não se aplica ao nosso caso uma vez que já temos uma grade pronta e ela é suficiente para o que iremos fazer.

O botão denominado “GridNovo” cria uma nova grade com os parâmetros solicitados, porém o mesmo também não se enquadra no nosso caso aqui.

Abaixo destes ajustes localizam-se os parâmetros de configuração das grades já criadas, no nosso caso temos apenas uma cujos parâmetros devem permanecer intocados, exceto o denominado “Linha de grade maior a cada “x” linhas cuja valoração deve ser entre 20 e 30 dependendo do seu monitor ou preferência de organização espacial.

Feito isso, crie agora outro pequeno retângulo de outra cor mas não com os cantos arredondados:

Por padrão o novo retangulo criado terá os cantos arredondados em razão do salvamento das caracteristicas do criado anteriormente sendo então necessário fazer um pequeno ajuste de modo que o mesmo fique com as bordas retas novamente:

Agora de um Zoom no trabalho *(basta pressionar as teclas “shift” e “+”) até que a grade fique semelhante a vista abaixo, depois encaixe o novo retângulo criado de maneira que o mesmo fique equidistante da largura e altura do primeiro retângulo nas proporções da imagem abaixo:

Depois, estique o novo retângulo até que sua largura bata com a primeira que foi configurada *(lado esquerdo), uma boa maneira de fazer isso é precionando a tecla “Ctrl” pois com a mesma neste estado o ajuste de largura e altura é feito de maneira uniforme.

Feito isso, duplique o retângulo e precionando novamente a tecla “Ctrl” arraste-o para baixo de maneira que o espaço entre um e outro fique com duas linhas da gradê em espaçamento, como na figura abaixo:

Agora selecione os dois novos retângulos e Combine-os:

Feito isso estes serão “arremessados” para trás do primeiro retangulo criado, bastando clicar sobre o ícone indicado para levar a seleção novamente para frente:

Aqui temos nossos retangulos agora unidos =]:

Feito isso, restaure a opacidade dos mesmos até 100% e aplique “Diferença” sobre TODOS os retângulos que criamos, inclusive o primeiro de cor diferente:

Eis oc resultado da ação anterior, note como a area dos dois retângulos mais novos ficou branca.

Caso você deseje numerais mais grossos basta redimencionar o agora objeto branco para 3 linhas e 3 colunas dentro dos limites da grade como fiz abaixo:

Agora começa a parte realmente “complicada”, crie um novo retangulo de cor gritante e com opacidade em torno de 50% de cantos não arredondados semelhante ao visto na imagem abaixo:

Agora rotacione o retangulo de maneira que o mesmo se encaixe no canto da extremidade esquerda do retangulo maior *(no caso do exemplo o cinza).

Aqui temos o encaixe sendo ajustado

A partir deste ponto a grade já não é mais necessária, podendo a mesma ser desativada precionando as teclas “shift” e “+” do seu teclado simultaneamente.

Com o encaixe primário executado, duplique o retângulo recém criado duas vezes e forme um “X” com estes novos, depois encaixe-os no retangulo cinza na mesma posição vista na imagem abaixo. Feito isso, duplique novamente o retângulo verde que foi encaixado primeiro e arraste-o para baixo mantendo precionada a tecla “Ctrl” a fim de que se mantenha uma linha reta e precisa durante a decida até o encaixe na extremidade de baixo:

Agora selecione todos os objetos que acabamos de criar *(no caso do exemplo os retângulos recém encaixados da cor verde) e inverta a sua orientação perante a imagem, encaixando os nas mesmas posições que os anteriores de maneira simétrica, após isto, selecione os retângulos que formam “X” *(um par por vez) e aplique “União”, isso facilitará a nossa vida pois teremos que lidar com menos objetos:

Agora façamos um pequeno ajuste de posição na segunda metade do encaixe dos retângulos verdes duplicados, posicione-os da mesma maneira que é vista na imagem abaixo para que os números não fiquem com sobras ou quebras repentinas:

Agora suba a opacidade dos retangulos verdes para 100% e aplique novamente o procedimento da ação denominada “Diferença” para com os retangulos verdes :

Feito isso, selecione agora todo o trabalho e aplique “Separar”:

Pronto! O procedimento anterior fez com que o nosso trabalho se fragmentasse em diversos objetos simples , então selecione os dois pequenos triângulos vistos no meio das laterais e pinte-os de branco:

Agora para formar os numerais basta que se pinte de branco ou que se deixe sem cor as barras necessárias , vamos dar um exemplo prático:

Suponhamos que eu deseje criar o número “3” a partir do objeto que criamos:

Basta selecionar as duas barras que teoricamente o impedem se der formado, é como aqueles cartazes de preço dos botequins da vida que o dono apenas pinta com uma caneta as partes necessárias para formar um determinado preço, mas de forma inverta porque ao invés de pintar estamos subtraindo cor =] :

A imagem abaixo ilustra as barras já selecionadas

E aqui temos o número já formado após tornar as barras sem cor =]:

Agora que já nos aquecemos, vamos criar um relógio para os nossos números =]:

O primeiro passo é construirmos a parte mais básica do relógio que é o seu mostrador digital, para isto, duplique o objeto que criamos mais duas vezes e arraste-os com a tecla “Ctrl” pressionada a fim de termos 3 dígitos possíveis. As imagens abaixo ilustram esse processo:

Aqui temos o objeto simples já duplicado duas vezes através do atalho “Ctrl” + “D”

Agora basta arrastar os novos objetos conforme solicitado de maneira que o espaçamento seja maior para o primeiro e uniforme para os dois últimos como visto abaixo:

Agora é hora de criamos o tradicional par de esferas que fica entre o primeiro e os dois últimos números, para isto crie uma esfera e encaixe-a entre o final das duas barras paralelas, depois duplique-a e encaixe a segunda da mesma forma mas na parte inferior como mostra a imagem abaixo:

Feito isso, é hora de decidirmos os números que irão compor o horário que será mostrado no nosso relógio, como já expliquei o procedimento vou colocar aqui apenas a imagem dos que eu escolhi:

Feito isso agora vamos criar o corpo do nosso relógio, comece pensando então em como você gostaria que ele fosse e que formáto ele deveria assumir. Feita a imagem mental do mesmo, comecemos executando o painel:

Primeiro crie um novo retângulo na cor que você deseje que o painel assuma em seu contorno e que seja proporcional ao tamanho dos numerais desejados:

Agora duplique o retângulo e transforme o objeto em caminho:

Depois aperte as teclar “Ctrl” e “J” simultaneamente a fim de que o caminho se converta a um único nó vetorial, e depois precionando a tecla “Ctrl” aumente um pouco o retângulo. Para ver melhor o resultado reduza um pouco a sua opacidade temporáriamente:

Pronto! Já temos a borda do nosso painel =] .Para finalizar, restaure a opacidade da mesma e jogue o objeto para trás:

Agora vamos colocar o nosso horário dentro do painel da seguinte maneira:

Selecione todos os objetos que fazem parte deste desenho, escolha uma cor vibrante e mova-os para dentro do painel, não se esqueça de levantar a seleção para o topo do projeto, procedimento inverso ao que executamos com o retângulo cinza criado para ser a borda do nosso relógio exemplo:

Agora duplique o desenho do horário a fim de que os pontos com menos cor se tornem visíveis:

Feito isso, selecione agora apenas os objetos que estão mais “vivos” isto porque irémos desfocar um pouco os números para dar uma aparência um pouco mais realista ao nosso trabalho, para tanto basta acessar a interface de preenchimento e adicionar a barra de valoração de desfocagem um valor entre 4,00 e 6,00:

Agora duplique o retângulo cinza:

Feito isso, preencha o novo retângulo criado com a cor branca e aplique sobre o mesmo degradê linear, com a seguinte orientação: De baixo para cima:

Feito isso, abaixe a seleção até que o objeto no qual estamos trabalhando fique atrás dos números formando o efeito metalizado contrastando com o retangulo cinza abaixo dele:

Agora vamos criar um reflexo de vidro para finalizar o exemplo do dia =]:

Duplique o retangulo preto onde estão os numeros e crie um objeto com curvas suaves que invadam o espaço onde se encontram os numerais do nosso relógio:

Para facilitar o nosso trabalho, mova o novo retangulo para fora da area do nosso trabalho:

Feito isso, selecione ambos os objetos e aplique Interseção sobre os dois objetos:

Este é o resultado desta ação:

Agora pinte este novo objeto de branco posicionando o mesmo sobre o nosso relógio, ainda sobre o mesmo, aplique novamente o atalho “Ctrl + J” a fim de que possamos mudar a proporção do mesmo através de um nó único.

Feito isso, com a tecla “Ctrl” pressionada, ajuste o novo objeto de maneira que um traço fino negro se forme entre o objeto e o relógio:

Agora aplique sobre o mesmo degradê Linear no sentido de cima para baixo. Reduza também um pouco a opacidade para uma melhor adequação:

Para criar uma leve sombra na parte inferior do relógio, basta criar uma esfera achatada na parte de baixo do desenho e desfoca-la com generosidade :

Pronto!

Eis o exemplo do dia concluído !=]

É isso ai, vejo vocês no nosso próximo assunto!

%d blogueiros gostam disto: